Evite ignorar a birra, os especialistas indicam que se fizer isso é uma forma de agressão. “A birra é acompanhada, não é repreendida”, explicam.

Fazer um birrauma birra ou raiva é comum e esperada em crianças entre um e três anos, porque durante “Nessas idades, eles ainda não têm linguagem, maturidade e compreensão para explicar ao adulto que ‘algo’ está acontecendo e, consequentemente, não sabem como controlar e a frustração e a raiva se instalam”explica Lourdes Mejía Trejo, doutora em inovação educacional e especialista em competências socioemocionais.

Que e um birra?

As birras podem conter apenas choro, mas alguns pequenos acompanham com gritos, birras, se jogar no chão e muito mais. E para alguns pais, professores ou cuidadores esta situação costuma ser muito preocupante, sobrecarrega-os e podem até agredir as crianças.

“Quando um adulto está com uma criança que faz birra, eles devem acompanhá-la, nunca ignorá-la ou reagir com violência a ela. Imagine que você, adulto, está tendo um dia ruim e está com raiva, mas outro adulto vem e bate em você por causa de sua raiva ou por causa de sua tristeza. Bem, a mesma coisa acontece com crianças entre um e três anos de idade. o entrevistado especifica.

O que denota uma birra?

Não há birras, explica Mejía Trejo, mas potencializadores de eles e os especialistas o classificam em cinco:

1. Birra para chamar a atenção: Desde recém-nascido, uma criança chora para sobreviver e ser alimentada, trocada de fraldas ou abrigada porque está com frio. O pequeno não sabe se comunicar de outra forma. É por isso que ele continua chorando até os 3 anos, porque é assim que ele atrai a atenção de seus cuidadores. No entanto, com o passar dos meses, a criança aprenderá outras formas de se comunicar e parar a birra.

2. Fazer birra para conseguir algo: Esta é outra forma de conseguir o que procura: comida, brinquedos, atenção, abraços e muito mais. Alguns pais cedem facilmente às birras para conseguir algo desde muito cedo e com o passar dos anos será difícil evitar esse tipo de birra.

3. Birra para evitar algo: Algumas crianças com mais de 3 anos choram porque não querem lavar a boca, ir dormir na hora, fazer a lição de casa e assim por diante. É aconselhável torná-los uma rotina com os horários para que saibam o que devem fazer em determinado horário.

4. Birra cansada: Embora com o passar dos meses as crianças comecem a se comunicar de várias maneiras, alguns pequenos não sabem o que está acontecendo com eles e choram porque não sabem distinguir entre cansaço, fome, tristeza, preocupação ou ansiedade.

5. Birras por frustração: É verdade, as crianças também ficam com raiva (e é válido e genuíno fazê-lo). Então a raiva toma conta e eles podem perder o controle. O ideal é ajudá-los a gerenciar suas emoções.

Recomendamos que você leia: As chaves para sobreviver às birras do seu filho

As birras ocorrem devido ao tipo de parentalidade

Quando uma criança é ajudada, desde cedo, a conhecer, compreender e administrar suas emoções, então será fácil para ela não fazer birras de qualquer tipo. “Recomenda-se que desde a primeira infância a criança seja ajudada a saber que as emoções não são ruins nem boas, são simplesmente emoções e que podem controlá-las para ter um relacionamento saudável com elas e com as pessoas”especifica o Dr. Mejía Trejo.

Se uma família fica com raiva e briga com frequência, é de se esperar que as crianças façam o mesmo. Por outro lado, se uma família fala sobre emoções, sabe se autorregular e incentiva o diálogo aberto e respeitoso, as crianças farão o mesmo.

“As birras são superadas ou exacerbadas pelo tipo de parentalidade, por isso é importante que pais, professores e cuidadores das crianças saibam como lidar com elas”, destaca o especialista.

3 razões pelas quais você não deve ignorar uma birra

Ignorar uma criança não é solução em nenhuma idade, o que deve ser feito é acompanhar seu filho para superá-las. No entanto, se você insistir em ignorar uma birra, estas serão as consequências:

1. As birras serão mais constantes, complicadas e até violentas. Porque a criança vai se sentir ignorada e vai gritar e chorar mais até que ela o escute.

2. As birras ocorrerão em qualquer ambiente: casa, escola, rua e assim por diante, pois a criança não é regulamentada e não faz distinção entre lugares públicos e privados.

3. A criança vai crescer e não vai conseguir se autorregular, vai explodir com facilidade e pode não chorar mais por um brinquedo e sim por um celular, uma festa ou qualquer outro desejo.

5 maneiras de lidar com uma birra

O mais importante é Incentive o diálogo com seu filho, não importa quantos anos ele tenha, você tem que falar com ele. Lembre-se de que quanto mais novo seu filho for, menos palavras você deve usar para transmitir a mensagem com clareza.

1. Faça 5 respirações profundas seguidas. Não perca o controle!
2. Abrace seu filho com firmeza, mas gentilmente e diga a ele que você entende.
3. Use um tom de voz calmo e desça ao nível deles para que o diálogo seja mais preciso.
4. Dê uma mensagem clara: “Eu sei que você quer aquele brinquedo/sorvete/assistir o filme, eu quero isso também. Mas neste momento não é possível porque” (você explica a situação). E você encerra sua mensagem: “Também estou com raiva, mas vamos respirar juntos e nos sentirmos melhor”.
5. Evite punições, broncas, palmadas e qualquer outra reprimenda. “Não apague o fogo com gasolina”, mantenha a calma porque o adulto é você.
6. Se as birras são constantes, frequentes e seu filho já tem mais de 3 anos, peça ajuda profissional.

Passos mágicos para acabar com uma birra de acordo com a UNICEF

Crianças egocêntricas: birras porque você não dá a ele o que ele quer