A maioria dos pais deu aos filhos uma chupeta em algum momento. A chupeta não só ajuda a acalmar o bebê quando ele está agitado ou chorando, mas também o ajuda a adormecer mais rápido. Além disso, um estudo realizado pela Associação Pediátrica Espanhola revelou que a chupeta reduz o risco de morte súbita infantil porque ativa os mecanismos cerebrais que controlam o trato respiratório superior.

O uso da chupeta Foi até considerado um método analgésico não farmacológico para aliviar desconfortos específicos como os sintomas de dentição no bebê ou o desconforto associado à gripe. O uso da chupeta também estimula o instinto de sucção do bebê, especialmente útil quando o pequeno tem dificuldade para amamentar ou não sabe tirar bem o leite do peito da mãe. Além disso, a chupeta reduz o risco de sobrepeso ou obesidade em crianças. No entanto, nem tudo é positivo. A chupeta também foi associada a alguns riscos à saúde do bebê.

Por que você deve ter cuidado com a chupeta? Riscos associados ao uso da chupeta

O uso da chupeta em crianças é um assunto altamente controverso na comunidade pediátrica devido aos riscos que representa a curto e longo prazo. Seu uso durante as primeiras semanas de vida aumenta os problemas para o estabelecimento da amamentação, enquanto aumenta o risco de desmame precoce. De acordo com uma investigação realizada na Universidade Jaume I, o uso da chupeta está relacionado a distúrbios da dentição, especificamente, com malformações orais e um risco aumentado de cárie.

Este estudo também descobriu que seu uso após 6 meses está associado a problemas de fala e articulação de palavras. Além disso, aumenta o risco de sucção digital na infância, aparecimento de otite média nos primeiros anos de vida e o uso de tabaco na adolescência e idade adulta. E, em muitos casos, está relacionado a um aumento de gases no intestino e o conseqüente aparecimento de cólicas desconfortáveis ​​em crianças.

Quando você deve remover a chupeta de seu bebê?

O momento mais adequado para retirar a chupeta de uma criança varia de caso para caso, pois depende de diversos fatores, desde o estado de saúde do bebê até sua capacidade de adaptação às mudanças ou suporte familiar. No entanto, na maioria dos casos a Associação Espanhola de Pediatria recomenda iniciar a retirada após 6 meses para evitar causar alterações dentárias em crianças. Algumas crianças podem deixar a chupeta até o primeiro ano de vida, mas a partir desse momento seu uso não é recomendado em nenhum caso.

Algumas crianças desistem da chupeta voluntária e naturalmente, mas não é comum. Em geral, é muito difícil para a maioria das crianças se desprender da chupeta e superar esse estágio, pois é uma fonte de tranquilidade e segurança. Se este for o caso do seu filho, no Estágio Infantil, propomos algumas estratégias para que a retirada da chupeta de seu filho não se transforme em uma dor de cabeça.

1. Reduzir gradativamente seu uso

A Associação Espanhola de Pediatria recomenda reduzir gradativamente o uso da chupeta até que o bebê desaprenda o hábito. Uma opção é limitar o tempo que a criança passa com a chupeta, retirando-a cada vez mais rápido. Outra alternativa consiste em tirá-lo ao jogar ou assistir TV e deixá-lo sozinho em situações estressantes ou ao dormir. A ideia é que o pequeno use cada vez menos até se esquecer definitivamente dele.

2. Troca por um presente

Um truque muito eficaz para remover a chupeta de uma criança mais velha é propor que ela a ofereça em troca de um presente. Seja a fada dos dentes, o Papai Noel ou os Três Reis Magos, os personagens fictícios podem se tornar os aliados perfeitos para que a criança voluntariamente lhes ofereça sua chupeta em troca de um brinquedo ou outro presente que deixa você muito animado. Desta forma, a decisão final será sua, o que o ajudará a se livrar desse hábito com mais facilidade e também terá o presente como recompensa.

3. Ritual ou festa de despedida

Este truque funciona muito bem com crianças mais velhas que entendem o conceito de separação ou despedida. A ideia está em organizar uma festa em casa ou preparar um ritual em que o pequeno possa despedir-se da chupeta e livrar-se deste hábito. É importante que você explique à criança por que ela deve largar a chupeta e quais os benefícios que ela trará para incentivá-la a dar o passo. Se a criança for muito reticente, você sempre pode mantê-la em um lugar da casa onde possa ser facilmente encontrada quando for mais necessária.

4. Cortar ou furar o mamilo

É uma forma muito simples de fazer a criança perder rapidamente o interesse pela chupeta. Quando o mamilo é cortado ou puncionado, a sensação ao sugar já não é tão agradável como antes e, na maioria dos casos, os pequenos passam a rejeitar a chupeta por vontade própria. Para picar pode usar uma agulha de costura e fazer vários furos para que perca o ar de dentro. Para cortá-lo, basta usar uma tesoura com a qual você pode remover a ponta.

5. Manchando o mamilo com sabores desagradáveis ​​

Molhar o mamilo com sabores desagradáveis ​​como limão ou vinagre é geralmente um truque muito eficaz para fazer a criança largar a chupeta. O gosto ruim que a chupeta deixa na boca da criança vai fazer com que ela cuspa e aos poucos ela comece a rejeitá-la por vontade própria. Para esse truque, lembre-se de sempre usar alimentos ou líquidos seguros e comestíveis que não coloquem em risco a saúde da criança.