O leite materno é essencial para o correto desenvolvimento do bebê nos primeiros meses de vida: além de fornecer os nutrientes necessários para o seu crescimento, reforça o vínculo entre mãe e filho que tanta segurança proporciona ao filho. Por esse motivo, cada vez mais mães optam pela amamentação prolongada. Mas, quais os benefícios que a amamentação nos traz além do ano?

6 benefícios da amamentação além do ano

A amamentação prolongada está associada a um grande número de benefícios para a mãe e para a criança. Além disso, estudos demonstraram que o desmame não é mais complicado, por mais longa que seja essa prática. Por isso, os profissionais aconselham que sejam mães que decidem prolongar a amamentação e que o fazem com base em sua situação pessoal.

1. Nutrição mais balanceada

O leite materno é a melhor forma de alimentar o nosso bebé, pois oferece-lhe tudo o que necessita para o seu crescimento e desenvolvimento. De fato, foi demonstrado que a composição do leite materno muda ao longo dos meses (e anos) para se adaptar às necessidades nutricionais do bebê. Assim, do ponto de vista da nutrição infantil, não há inconvenientes em estender o período de amamentação, desde que a mãe decida fazê-lo e tenha apoio suficiente de seu ambiente.

2. Melhora a imunidade

Durante a lactação, os anticorpos do leite materno, assim como suas células e hormônios, fortalecem o sistema imunológico do bebê. Assim, são muitas as doenças que podem ser evitadas com essa prática, inclusive quando falamos em proteger e fortalecer o sistema imunológico dos bebês a partir de um ano. Dessa forma, um bebê amamentado tem menos risco de desenvolver alergias, infecções e doenças de pele. Da mesma forma, você também terá menos risco de sofrer de doenças respiratórias, obesidade e sobrepeso e cárie dentária. Por fim, é importante observar que também Reduz o risco de Síndrome da Morte Súbita Infantil.

3. Melhora a saúde das mães e previne doenças

Optar pela amamentação prolongada também é favorável para as mães. Eles não apenas se recuperam antes do parto, mas os pesquisadores mostraram como as mães que amamentam além de um ano desfrutam de uma saúde melhor: é mais fácil para elas perder e manter um peso saudável, bem como períodos menstruais atrasados.

Da mesma forma, também foi descoberto que a amamentação prolongada reduz significativamente o risco de câncer de mama e ovário, bem como as chances de sofrer de artrite reumatóide, pressão alta, diabetes e doenças cardíacas.

4. O vínculo afetivo entre mãe e filho é solidificado

A amamentação, além de fornecer ao bebê os nutrientes de que ele precisa para crescer, também tem um grande efeito no vínculo afetivo entre mãe e filho. Dessa forma, quando a mãe opta pela amamentação prolongada, ela consegue fortalecer muito mais esse vínculo; esse momento representa uma explosão de felicidade e amor por parte da mãe, o que leva ao bem-estar materno.

5. Um apego saudável é criado

O apego afetivo dos filhos é um dos comportamentos que mais deve ser reforçado para que se sintam seguros e desenvolver uma boa auto-estima. Esse apego saudável começa a se desenvolver desde os primeiros dias de vida do bebê por meio de mimos, carícias e, principalmente, da amamentação.


6. Melhor desenvolvimento emocional e psicossocial da criança

Segundo o Comitê de Aleitamento Materno da AEP (Associação Espanhola de Pediatria), a amamentação também afeta o desenvolvimento emocional e psicossocial da criança. Assim, foi possível verificar que quanto mais prolongado o aleitamento materno, melhor será o relacionamento com os pais e a saúde mental também será beneficiada a longo prazo. Além disso, uma menor incidência de abuso infantil também foi descrita quanto maior a duração da lactação.

Complicações da amamentação além de um ano

Os benefícios da amamentação prolongada são muitos e mais do que comprovados, embora esta prática não seja isenta de complicações se tivermos em conta o tempo que requer. Assim, a mãe que não tem obrigações trabalhistas terá mais facilidade na hora de amamentar o bebê por mais tempo. No entanto, quem deve cumprir horário de trabalho fora do ambiente familiar terá dificuldade em atender às demandas do bebê. Por esse motivo e nesses casos, é aconselhável seguir o padrão de introdução de alimentos sólidos e interromper a amamentação como complemento.

Mãe e bebê precisam de todo o apoio familiar

Quando uma mãe decide amamentar além do ano, ela precisará ter o apoio da família. Assim, suas horas de descanso devem ser respeitadas e momentos de tranquilidade devem ser proporcionados. Toda ajuda é pouca, então os demais membros da família devem focar nas necessidades tanto da mãe quanto do recém-nascido. Da mesma forma, uma vez decidido o desmame, a família deve focar no necessidades afetivas do bebê diante dessa nova situação para ele.

A amamentação prolongada não só traz benefícios para o bebê, mas a mãe também terá uma saúde melhor e terá menos riscos de sofrer de certas doenças. Em suma, podemos dizer que o vínculo afetivo que se forma durante esse período marcará o desenvolvimento psicossocial do bebê, estabelecendo relações afetivas mais fortes com a família à medida que crescem.