Atenção! Esses remédios infantis estão sendo falsificados e a Cofepris recomenda que a população verifique a informação. Deixamos-lhe todos os detalhes aqui.

Recentemente, foi feito um alerta para a falsificação e venda ilegal de medicamentos infantis. o Comissão Federal de Proteção contra Riscos Sanitários (Cofepris) alertou sobre a falsificação e venda ilegal dos remédios “Solução Rosel” e “Desenfriol-ito Plus” e pediu à população que não consuma as versões alteradas.

“Essas falsificações representam um risco significativo para a saúde das crianças e é feito um apelo para não consumi-las”, anunciaram os representantes da Cofepris.

A falsificação do medicamento Rosel, que contém amantadina, clorfenamina e paracetamol, em sua apresentação de 60 ml, com lote 200413 e validade dezembro de 2024, foi apurada de acordo com as análises realizadas e as informações apresentadas pela Wermar Farmacêutica.

A referida empresa informou que este medicamento deixou de ser fabricado desde abril de 2021, porque foi esta mesma organização que realizou o processo de atualização.

Pode ser do seu interesse: Posso dar medicamentos genéricos ao meu filho?

Por outro lado, com o medicamento Desenfriol-ito Plus, de fórmula farmacêutica comprimido mastigável, nome X23V7X e vencimento em dezembro de 2023, também foi informado como totalmente falso.

A Bayer de México, detentora do registro sanitário do referido medicamento, informou que o prazo de validade foi modificado, pois o vencimento original é abril de 2021. Outra característica que não corresponde ao produto original é a imagem da caixa de apresentação, pois no lote autêntico pode-se observar que é outro.

O que a Cofepris recomenda?

A Cofepris recomendou que toda a população em geral não adquira a solução infantil Rosel com o nome acima ou qualquer outro, pois sua fabricação está oficialmente suspensa e qualquer apresentação atual seria falsificação iminente.

Em relação ao Desenfriol-ito Plus, antes de sua compra, solicita ao usuário a verificação do lote e do prazo de validade. E pediu aos médicos que, por favor, não prescrevam esse tipo de medicamento.

Caso detecte a comercialização desses medicamentos falsificados, a Cofepris disponibilizou o telefone 800 033 5050; a página oficial e o diretório dos Centros de Atendimento Integral, presentes em todo o país, para apresentar a queixa de saúde correspondente.

Continue lendo: Saúde alternativa: cuide-se sem drogas