A genética pode influenciar como seus filhos recebem a comida que você lhes dá. Beatriz Boullosa, especialista em nutrição, explica por que…

Qual é a ciência que estuda isso?

A ciência que estuda esse fator é a Nutrigenética: essa ciência se concentra em como nossos genes influenciam nossa resposta aos alimentos que ingerimos, como aumentam ou diminuem a probabilidade de sofrer de algumas doenças e como afetam nosso desenvolvimento. Para que a partir dele possam ser desenvolvidas orientações personalizadas de aconselhamento nutricional.

Pontos-chave da genética

É lógico esperar que nossos filhos tenham uma grande semelhança conosco ou com nosso parceiro. No entanto, às vezes eles são muito diferentes do que imaginávamos e podemos cometer o erro de não saber lidar com eles adequadamente.

Exemplo: uma mãe muito magra, de tez pequena, pode ter um filho/filha de tez grande, com maior apetite, um senso de humor completamente diferente, que processa os pensamentos de outra forma que nos é estranha e confusa. Daí a importância de entender melhor a genética.

Hoje já existem estudos genéticos que nos permitem um autoconhecimento e, portanto, uma abordagem mais personalizada dos nossos cuidados de saúde.

A genética não é decisiva, a epigenética também influencia, ou seja, tudo o que fazemos ou deixamos de fazer como hábitos da vida cotidiana. No entanto, conhecer nossa genética geralmente nos dá respostas para certas questões que às vezes são muito frustrantes.

Exemplo: Algumas mães chegam à consulta solicitando que complementem seus filhos para que alcancem maior desenvolvimento de massa muscular, ou maior estatura, e se não considerarmos o fator genético, estaríamos cometendo um grave erro.

Minha recomendação é que procuremos sempre assistir o filme completo: genética + hábitos do dia a dia e claro entender cada fase da vida já que uma fase de crescimento e desenvolvimento não é a mesma fase da infância ou idade adulta.

Recomendamos que você leia: Tem que haver compatibilidade genética com meu parceiro se eu quiser engravidar?

Por que fazer um teste genético no meu filho?

Previne o desenvolvimento de doenças crônico-degenerativas, apesar predisposição genética e melhorar os níveis de energia, favorecendo a qualidade de vida e longevidade. Da mesma forma, permite ter um conhecimento mais profundo de quem são como pessoas e como veem e percebem o mundo.

A partir deste teste você pode obter:

– Maior conhecimento sobre sua estrutura de pensamento e nível de concentração (folatos).
-Alto: concentração, raciocínio matemático, quadrados, bom no manuseio de dimensões.
– Significa: aprendem através dos sentidos, possuem todas as inteligências (sensorial, lógica, matemática, cinestésica), muito dispersos e com curtos períodos de concentração
-Bass: Muito criativo e espontâneo, maior sensibilidade nos sentidos e maior obsessão pela ordem
– Conhecimento sobre o seu nível de motivação e recompensa (dopamina).
– Conhecimento sobre o seu nível de ansiedade/obsessão/compulsão (gene TOC)
– Conhecimento sobre seu nível de explosividade/adrenalina ou nível de autocontrole e o que cada um implica.
– Ciclo circadiano (dia ou noite)

O que inclui o teste genético Bienestar?

Perfil de comportamento: explosividade ou autocontrole, ciclo circadiano, ansiedade, compulsão, gene TOC, dopamina, folatos, menciona o risco de sofrer de dislipidemia, processos neurodegenerativos, metabolismo da glicose, inflamação.

Dieta: metabolismo de macronutrientes (controle de gordura, controle de CHO, controle de gordura e CHO), intolerâncias (glúten e lactose), metabolismo do álcool, metabolismo da cafeína, fome, saciedade, papilas gustativas, metabolismo de vitaminas (complexo B, A, D, E, C ) ômega e cálcio

Exercício: Tipo de exercício recomendado para perder peso (intensidade alta ou moderada), tipo de fibras musculares, hidratação e oxigenação (produção de óxido nítrico)

Beatriz Boullosa, Nutricionista especializada em Nutrição Esportiva.
Presidente da Federação Mexicana de Nutrição Esportiva.
Promotor de Atividade Física e escritor.

IG: @beaboullosa | TW: @beaboullosa | www.fmnd.org.mx