Se você tiver que mudar a escola do seu filho, siga estas dicas para tornar a transição mais eficaz e menos dramática.

Existem dezenas de motivos pelos quais os pais mudam de escola dos filhos, entre os mais comuns estão: mudança de residência, problemas econômicos, divórcio dos pais, mudança de grau escolar ou desejo de melhorar o nível educacional.

Como as crianças se sentem quando mudam de escola?

“Um número significativo de crianças passa mais horas nas escolas do que em suas próprias casas. Lá eles têm amigos, convivência com seus professores favoritos e, claro, se sentem seguros. É por isso que você não deve minimizar seus sentimentos quando eles vão mudar de escola, explica Lourdes Mejía Trejo, doutora em inovação educacional pelo Centro Universitário de Ciência e Pesquisa, criador do Espacio Sé Amable.

Algumas crianças são muito sociais e não terão dificuldade em mudar de escola. Em contrapartida, outros – que podem ser mais retraídos – podem ter problemas de adaptação, fazer novos amigos e ter uma convivência adequada, aponta o especialista.

“Se nossos filhos souberem fazer amigos, se adaptar às circunstâncias e também souberem fazer contato social com facilidade, a transição será ainda mais uma maneira de ter uma aventura divertida. Mas, se nosso filho mal fala, é tímido e não gosta de mudanças, pode levar tempo para se adaptar”, disse. destaca Mejía Trejo.

5 dicas para não sofrer com a mudança de escola

Embora todos os humanos precisem de tempo para se adaptar – a uma nova casa, um novo emprego, um novo corte de cabelo e muito mais – existem algumas dicas que você pode seguir para facilitar a transição.

1. Responda a todas as perguntas: Antes de mudar, converse com ele e explique por que você está mudando. Seja honesto e responda a todas as suas perguntas de forma positiva e não os responsabilize pela mudança.

2. Dê-lhe tempo para se adaptar: Não espere que na primeira semana ele já tenha muitos amigos e se sinta feliz. Pode levar de 15 a 20 dias para que seu filho se sinta apegado à mudança.

3. Não o faça esquecer sua antiga escola: Não é que você esqueça seus amigos, seus professores e sua velha rotina. “Não é tábula rasa”, o ideal é que ele continue mantendo contato (por telefone ou videochamada) com aqueles que decide continuar tendo em sua vida.

4. Converse com seus professores: Peça uma reunião com seus novos professores e conte como seu filho está, como ele aprende, qual matéria é sua favorita e qual é difícil para ele. Isso ajudará a se integrar melhor ao grupo.

5. Seja paciente e reserve um tempo para ouvir: Tudo o que seu filho tem a dizer é importante, não minimize seus sentimentos. Pelo contrário, apoie-o e confie nele.

dicas para professores

Mejía Trejo, indica que os professores são fundamentais para que um aluno não se sinta rejeitado, mas, pelo contrário, o grupo já integrado aceita-o facilmente.

Para isso, os professores devem:

1. Aproveite o tempo para conhecer o novo membro do seu grupo.
2. Faça uma pequena atividade de integração com todo o grupo.
3. Ajude-o a socializar, se necessário.
4. Evite fazer julgamentos de valor ou acusações.
5. Assuma o papel de mediador entre o grupo e o novo membro, se necessário

Se você quiser ver mais notas sobre educação, leia isto:

→ Teste: Qual inteligência é mais forte em seu filho?

→ Você conhece a teoria das inteligências múltiplas?

→Primeiro conheça seu filho, depois escolha sua escola

O que eu faço se meu filho não gostar de seu corpo?