Se você tem um membro da família com excesso de peso, essas são as indicações que você deve levar em consideração, se você for infectado com Covid-19.

Durante a pandemia, as autoridades de saúde fizeram mais menção à urgência de atendimento combater a doença da obesidade. Um fator que foi visto influencia as complicações que ocorrem em pacientes com Covid-19. Para esclarecer qualquer dúvida, decidimos procurar o Dr. Fernando Barba Hernández, especialista em clínica médica e obesidade, do Centro Médico do ABC, que nos explicou a situação que passam os pacientes com Covid-19 e com sobrepeso.

Você tem um parente com sobrepeso?

Deve-se notar que as autoridades informaram que no México 70% dos mexicanos estão com sobrepeso e quase um terço sofre de obesidade, além disso, esta doença está associada principalmente a diabetes e doenças cardiovasculares, mas também a distúrbios ósseos e musculares e alguns tipos de câncer.

Qual é a relação entre obesidade e Covid-19?

A relação é real, uma das coisas que começaram a ser avaliadas no início da pandemia foram os fatores de risco que aumentaram a possibilidade de infecções. Entre eles: diabetes, hipertensão, idade acima de 65 anos, obesidade e outras doenças. Na verdade, era surpreendente que 76% dos pacientes hospitalizados por contágio apresentassem sinais de obesidade.

Estudos feitos no México mostram que a mortalidade de Covid-19 é maior em pacientes com obesidade, 33,13% vs. 9,4% contra aqueles sem esse fator de risco. Obviamente, também um risco maior de necessitar de terapia intensiva, 15,2% VS 2,3%.

O médico explica que, infelizmente, a obesidade está presente na vida do mexicano, lembrando que resultados da última Pesquisa Nacional de Saúde (2018), determinaram que a doença ocorre em adultos com mais de 20 anos, em 36,1% da população e está aumentando.

Quais complicações ocorrem em pacientes com Covid-19 e obesidade?

A presença da obesidade favorece a grave evolução do Covid-19, fazendo com que o paciente sofra maiores danos pulmonares, ou seja, falta de ar e oxigenação no sangue. O que os leva a necessitar de manejo avançado com administração de oxigênio suplementar ou mesmo requerer manejo avançado da via aérea, que consiste na colocação de um tubo conectado a um ventilador que está reduzindo o esforço respiratório da pessoa.

Eles requerem tratamento especial?

É um fator de risco, mas uma vez estabelecida a doença, deve-se caracterizar se é uma doença leve, moderada ou grave. Leve: pessoas com manifestações como febre, tosse, dores musculares, mas que não causam problemas respiratórios. Moderado: envolve suporte de oxigênio para respirar melhor, através do oxímetro de pulso. Graves: quando o paciente deve ser hospitalizado para administração de oxigênio, quando deve ser intubado e entrar na UTI, que são os que correm maior risco de morte.

Consequências da Covid-19 em pessoas com obesidade

O Dr. Fernando Barba Hernández explica que quem consegue se recuperar do contágio sofre uma diminuição da capacidade funcional. Eles têm uma tolerância menor ao exercício, sua capacidade pulmonar é menor e não se recuperam 100%, precisarão de reabilitação pulmonar; ou seja, exercícios monitorados por profissionais, nos quais eles titulam a quantidade de exercícios para que possam recuperar essa funcionalidade. Podem apresentar pneumonias ou coágulos, depende das complicações ocorridas durante o tratamento.

Por que existem casos mais graves do que outros?

A obesidade é um fator que pode agravar os sintomas de Covid-19; Porém, existem outras como: diabetes, hipertensão, idade, doenças pulmonares prévias, podem gerar problemas maiores nos pacientes. Dependerá de tudo isso para determinar quais pacientes apresentam mais ou menos complicações.

O cuidado preventivo é igual para todos; No entanto, em termos de peso, embora não se espere que façam mudanças drásticas, é recomendado que cuidem de sua dieta e exercícios para ajudá-los a ficar em forma, não só para a pandemia, mas também para sua vida diária.

O Dr. Fernando Barba Hernández explica que os pacientes não sabem da sua doença, é importante que vejam como o problema que é, pois isso cria o risco de outras doenças, não apenas do Covid-19. Eles precisam ter uma visão de que essa doença deve ser sempre cuidada, não só se tiver problemas de saúde, mas em longo prazo.

A Secretaria de Saúde informa que por meio dessas recomendações simples, você pode começar a gerar mudanças em sua saúde:

1. Beba água pura. Entre 6 e 8 copos por dia (cada copo de 250 mililitros); evite beber refrigerante, suco ou qualquer bebida que contenha açúcar.

2. Seja fisicamente ativo. Recomenda-se 30 minutos por dia para adultos e uma hora para meninas, meninos e adolescentes.

3. Modifique sua dieta. Aumente o consumo de vegetais e frutas e diminua o consumo de alimentos que contenham gorduras, carboidratos e sal.