O abuso psicológico de crianças a seus pais é um fenômeno mais comum do que imaginamos. Estima-se que 14,2% dos pais sofram pelo menos 6 ataques psicológicos por ano, um número que aumenta para 93,8% se falarmos de uma única agressão, de acordo com um estudo realizado pela Sociedade Espanhola para o Estudo da Violência Parental Infantil. O problema atinge tais dimensões que em algumas famílias parece que os papéis se inverteram e que são os filhos que controlam os pais.

Falta de respeito, insultos, humilhação ou intimidação são algumas das maneiras pelas quais o abuso psicológico entre pais e filhos ganha vida, um problema que não só afeta a dinâmica familiar, mas também gera grande estresse nos pais. Os pais perderam a autoridade para estabelecer as regras em casa, assumir o controle da situação e punir seus filhos, sentem-se subestimados e pequenos enquanto os filhos assumem o controle por meio de abuso e manipulação.

Como ficam as crianças que abusam psicologicamente dos pais?

Antigamente era muito fácil distinguir crianças que maltratavam seus pais. Eram crianças rebeldes e violentas, muitas vezes com transtornos psiquiátricos ou dependência de substâncias. No entanto, cada vez mais crianças sem problemas de comportamento óbvios que foram educadas sob uma educação excessivamente permissiva abusam emocional ou psicologicamente de seus pais para alcançar seus objetivos. São crianças com baixo desenvolvimento emocional, que cresceram tendo tudo o que querem, e quando não conseguem, cruzam qualquer linha para conseguir. Em geral, por trás desse comportamento se esconde:

grande egoísmo

Uma das características que distingue as crianças que maltratam seus pais é seu grande egoísmo. Geralmente são crianças cujos pais lhes deram todos os prazeres e que nunca tiveram que fazer sacrifícios pelos outros. Como resultado, eles crescem achando que merecem tudo e desenvolvem uma atitude egoísta que se reflete não apenas na dinâmica familiar, mas também no relacionamento com amigos ou pessoas ao seu redor.

pouca empatia

As crianças que estão acostumadas a abusar psicologicamente de seus pais geralmente se distinguem por terem pouca empatia. São crianças incapazes de se colocar no lugar dos outros e de se conectar com os sentimentos dos que estão ao seu redor, portanto, eles não reparam ou entendem o impacto emocional que seus comportamentos negativos podem ter em seus pais.

Insegurança e baixa autoestima

Muitas das crianças que abusam psicologicamente de seus pais Eles sofrem de baixa auto-estima e insegurança. Na verdade, em alguns casos são até vítimas de bullying. Culpam seus pais por não saber como protegê-los ou por não tê-los ensinado a lidar com os problemas e por isso os maltratam.

Baixa tolerância à frustração

Por trás da humilhação, insultos ou desrespeito dos filhos para com os pais, muitas vezes se esconde uma baixa tolerância à frustração. Essas crianças não são capazes de regular suas emoções quando não conseguem o que querem ou as coisas não saem como o esperado e, como resultado, eles acabam tendo uma explosão emocional que assumem com seus pais.

Incapacidade de reconhecer sua responsabilidade

A maioria das crianças que abusam psicologicamente de seus pais Ele tem uma grande incapacidade de reconhecer seus erros e assumir seu grau de responsabilidade. Muitas dessas crianças cresceram sob a sombra superprotetora de seus pais, de tal forma que nunca aprenderam a aceitar as consequências de seus atos e, quando algo não sai como esperado, procuram alguém para culpar, o que, em geral, , tende a ser por conta própria.

Poderosa capacidade de manuseio

Tendemos a pensar que as crianças que abusam psicologicamente de seus pais são impostas pela força, mas na realidade nem sempre é esse o caso. Muitas dessas crianças muitas vezes recorrem a táticas sofisticadas de manipulação emocional já que conhecem as fraquezas de seus pais e não têm problemas em usá-las a seu favor.

Como agir diante de crianças que maltratam seus pais? A importância de uma boa educação

Definitivamente, A melhor maneira de parar as crianças que maltratam seus pais é através de uma boa educação. Quando você educa seus filhos com amor e respeito, estabelece limites em casa e os ensina a controlar suas emoções, você não apenas os impede de se tornarem crianças autoritárias, mas os incentiva a serem pessoas mais plenas e felizes. No entanto, educar as crianças é uma tarefa complexa em que não bastam as melhores intenções, mas também é preciso estar informado e pôr mãos à obra. Aqui estão algumas chaves que podem ajudá-lo a evitar esse problema ou interrompê-lo o mais rápido possível.

1. Siga um estilo educacional consistente

Educando seus filhos não só é importante que você evite superprotegê-los ou ser muito autoritário mas também que você seja consistente em todos os momentos. Se você puni-lo por seu mau comportamento, não remova a punição antes do tempo, lembre-se de que, se o pequeno perceber uma lacuna, ele aproveitará. Além disso, converse com seu parceiro sobre as regras em casa, ambos os pais devem concordar e impor os mesmos padrões com firmeza e amor.

2. Defina regras claras em casa

As crianças precisam de regras claras, pois ajudam a dar ao mundo uma ordem lógica. Quando seus filhos sabem exatamente o que você espera deles, eles não apenas se sentem mais seguros, mas são mais capazes de regular seu comportamento. Por tanto, Defina regras e limites claros e certifique-se de que eles sejam seguidos.

3. Ele desenvolve sua empatia desde cedo

Desenvolver empatia em seus filhos desde tenra idade os ajudará a se colocar no seu lugar e a entender como você se sente quando eles o insultam ou desrespeitam. Então, em vez de apenas puni-los quando fazem algo errado, sente-se com eles para refletir sobre o que eles fizeram de errado e suas consequências.

4. Ensine-o a regular suas emoções

Ensine as crianças a que eles controlem suas emoções e ganhem autocontrole é essencial Para o seu desenvolvimento. Dessa forma, eles não apenas serão capazes de regular suas explosões emocionais e conter sua raiva, mas também aprenderão a gerenciar melhor a frustração, uma habilidade que será útil quando se tornarem adultos.

5. Ensine pelo exemplo

Definitivamente, Não há melhor maneira de ensinar as crianças a respeitar seus pais do que dando o exemplo. Tenha em mente que as crianças aprendem observando seus pais, então eduque-as com firmeza, mas também com amor e respeito. Quando tiver de lhes dizer algo, evite gritar com eles, humilhá-los ou insultá-los e em nenhuma circunstância use violência em casa.

Por fim, fique atento a qualquer sinal de agressividade ou autoritarismo em seus filhos para que você possa pará-lo o mais rápido possível. E, se em algum momento a situação se agravar e você sentir que não pode controlá-la, procure ajuda de um profissional que possa orientá-lo.