Você quer que seu filho seja o mais inteligente? Monserrat Diaz Zafe explica como alcançá-lo através da nutrição.

Por mais banal que pareça, a comida é a gasolina que nosso cérebro precisa para funcionar, principalmente no caso de crianças que estão em pleno desenvolvimento e que precisam de alimentos supernutritivos para funcionar no dia a dia, ainda mais se queremos que sejam os melhores estudantes do mundo.

A importância da nutrição na inteligência do seu filho

Mas você sabia que… de acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde e Nutrição, 48,2% das crianças mexicanas entre 12 e 23 meses têm anemia e que esta é uma das principais causas de atraso na aprendizagem escolar?

Principais pontos de impacto de inteligência:

A inteligência pode ser impactada tanto pela desnutrição por déficit quanto por excesso. Atualmente considerando a presença de uma carga quádrupla de desnutrição.

Os primeiros 3 anos são o período de maior sensibilidade para expressar uma limitação no desenvolvimento saudável do cérebro devido à falta de nutrientes.

60% da energia recebida pelo feto durante a gravidez é usada para neurogênese (formação de neurônios). A mielinização é o processo pelo qual o cérebro amadurece,Começa entre 12-14 SDG e continua até a idade adulta, sendo dependente de nutrientes.

Existem 8 nutrientes essenciais para o crescimento e desenvolvimento saudável do cérebro, e sua falta altera a estrutura do cérebro. Ferro, Zinco, Iodo, Ácido Fólico, Colina, Vitamina D, Carotenóides como luteína e zeaxantina, bem como ácidos graxos poliinsaturados ômega 3 (LC-PUFAS).

A amamentação pode contribuir com 8,3 pontos a mais para o QI. A presença de anemia no primeiro ano de vida diminui o QI em 5pts e tem sequelas cognitivas que persistem até os 10-12 anos de idade, apesar da anemia ser corrigida.

No México há uma prevalência de anemia em lactentes de 12 a 23 meses de 48,2%presente em diferentes estratos socioeconômicos, de acordo com o ENSANUT 2018-2019.

desnutrição

A desnutrição é um problema de saúde pública que em suas diferentes nuances afeta todo o mundo, tanto países desenvolvidos quanto em desenvolvimento. Atualmente sabemos que a desnutrição em idade precoce tem um impacto complexo no ciclo de vida do ser humano.

Se falarmos especificamente da infância, devemos analisar o impacto que isso condiciona as crianças, pois terá consequências na saúde, educação e produtividade como ser humano a longo prazo.

Para entender o impacto da desnutrição na inteligência de seus filhos, devemos primeiro ter clareza sobre o conceito de desnutrição, pois quando falamos sobre isso podemos nos referir às suas diferentes dimensões. Desta forma, pode haver a desnutrição por excessos, onde se insere o sobrepeso e a obesidade, e por outro lado, pode haver a desnutrição por deficiências, onde se inclui, além da desnutrição por peso insuficiente; baixo peso ao nascer, baixa estatura/estatura para idade, baixo peso para estatura/altura e/ou deficiência de micronutrientes, dentro das quais foram identificadas as principais deficiências em Ferro, Zinco, Vitamina A e Vitamina D. São identificadas essas 3 formas de desnutrição como o fardo triplo da desnutrição humana, que está sendo considerado para incluir um fardo quádruplo, com um conceito emergente de desidratação.

Tendo esses conceitos claros, vamos falar um pouco sobre crescimento, desenvolvimento infantil e cognitivo, e poder entender a complexidade do ciclo vital a partir de uma abordagem dinâmica e sequencial. Para o qual devemos começar desde a gravidez.

Ciclo da vida:

É importante saber que o ciclo de vida de um ser humano inicia-se com o estado nutricional materno no momento da gravidez, sendo seu tamanho um marcador de saúde transgeracional de como foi seu estado nutricional na infância. A gravidez é o primeiro ambiente em que os genes de construção de órgãos são expressos no desenvolvimento embrionário, que são governados por um cronograma de expressão gênica codificado no DNA herdado dos pais. No entanto, agora sabemos que a informação de nossos genes não é tudo, mas que mudanças no ambiente podem modificar a expressão dos genes, sem modificar a sequência do DNA que herdamos, ou seja, não podemos alterar os genes que herdamos de nossos pais, mas o ambiente pode modificar a forma como esses genes são expressos, é o que se conhece como Epigenética.
Agora, do ponto de vista de como a nutrição afeta a inteligência do nosso filho, devemos saber que começamos a construir a inteligência do nosso filho desde a gravidez.

Gravidez:

Como isso acontece? Primeiro devemos saber como, quando e quais fatores participam da construção do cérebro do nosso filho, e isso nos leva à gravidez, onde o cérebro é construído em etapas, determinadas pelo calendário da expressão genética. A partir da formação da placa neural (base para a construção do cérebro), a localização dos primórdios neuronais (que representarão como colocar pequenas sementes) que darão origem a cada estrutura cerebral como; os hemisférios cerebrais, tronco cerebral, vias sensoriais, vias motoras, sistema límbico, área da linguagem, via visual, etc. Uma vez localizados, proliferam, diferenciam-se em funções específicas, criam redes de conexão através de axônios e dendritos, inicia-se a mielinização (12-14SDG até a idade adulta, aumentando no último mês antes do nascimento), que é a cobertura por um material de gordura que isola, protege e permite que a informação seja transportada do cérebro para qualquer parte do corpo e de qualquer parte do corpo para o cérebro através de fibras nervosas, finalmente apoptose, na qual os restos que não são mais úteis são destruídos . Considerando essa grande atividade, cerca de 60% da energia que o feto recebe da placenta é utilizada para esse processo chamado neurogênese, com pico aos 14 SDG e quase completo aos 25 SDG onde o número de neurônios no adulto já está presente, sendo este um dos processos mais críticos e suscetível a danos no desenvolvimento cerebral.

No México, segundo o ENASANUT 2018-19, a anemia ferropriva representa uma prevalência de 32,5% em crianças pré-escolares de 1 a 4 anos, afetando um total de 2.594.999 crianças. Identificando a maior prevalência entre 12 a 23 meses com 48,2%, valor que aumentou 10% em relação ao relatório anterior nesta mesma faixa etária no relatório ENSANUT 2012. Um período singularmente crítico para o desenvolvimento saudável do cérebro.

Estudos de neurociência baseados em evidências da paleontologia identificaram o papel da dieta como parte da evolução do desenvolvimento do cérebro. O consumo de ácidos graxos ômega 3 e a síntese de DHA tem sido um dos mais estudados, pois essas gorduras são abundantes nas membranas das células cerebrais, porém, o corpo humano não é capaz de sintetizá-las, mas são dependentes de sua ingestão através da dieta.

Na infância, os LC-PUFAs, particularmente DHA e ARA, são os mais abundantes no cérebro, representando aproximadamente 20% do total de lipídios cerebrais. Do último trimestre da gravidez aos 2 anos, o DHA é rapidamente acumulado no cérebro, coincidindo com o maior período de crescimento do peso cerebral e mielinização. Apreciando principalmente no córtex frontal e pré-frontal, regiões envolvidas nas funções executivas, atenção, planejamento, emoções e resolução de problemas. Infelizmente, a síntese de novo de DHA e LC-PUFA é limitada, tanto na infância quanto em seu conteúdo no leite materno, por isso deve ser obtida através da dieta.

Lembremos sempre que as crianças podem atingir sua capacidade cognitiva, emocional e de habilidades idealpara poder aproveitar a vida em todo o seu potencial, pode estar sempre em nossas mãos e podemos sempre nos ajudar como sociedade, conscientizando-nos da importância que isso significa.

Desde os profissionais que prestam orientação e atendimento para estar sempre atualizado, os meios de comunicação que identificam a importância de transmitir esse tipo de informação aos pais, a sociedade que a recebe e mesmo que você não tenha filhos neste momento, você pode compartilhá-la e a família que pode integrá-la em seu pequeno.

Portanto, cada criança que conseguimos manter saudável representa um esforço de todos nós como sociedade, porque somente através das crianças temos a oportunidade de transcender como sociedade e seres humanos para construir um mundo melhor para todos.