Nossos especialistas em redação


Não há um consenso geral sobre isso, mas não é uma má ideia tomar cuidado com a quantidade de cafeína ingerida.

Tanto o Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas quanto March of Dimes (nacersano.org) afirmam que limitar o consumo de cafeína durante a gravidez a menos de 200 miligramas (mg) por dia parece ser seguro.

200 mg de cafeína é aproximadamente a quantidade que contém uma ou duas xícaras de café de um pouco menos de um quarto de litro (0,24 litros ou 8 onças), dependendo da concentração. Chá, refrigerantes e chocolate são outras possíveis fontes de cafeína. Consulte a tabela de alimentos com cafeína para estar bem informada.

Os cientistas chegam a conclusões que são um pouco contraditórias quando a quantidade de cafeína excede os níveis considerados seguros.

Alguns estudos indicam que as mulheres que consomem mais de 200 mg de cafeína por dia tem um risco maior de aborto, enquanto outros chegam à conclusão oposta.

Outros estudos concluem que mulheres que bebem muito café (oito xícaras ou mais por dia) têm o dobro do risco de aborto espontâneo. que seu bebê nasce sem vida. E que mulheres grávidas que consomem três xícaras de café por dia têm maior probabilidade de ter seu bebê nascido com os testículos sem descer (isso significa que os testículos não desceram da pélvis para o escroto, como geralmente acontece no último estágio da gravidez)

Embora mais pesquisas estejam sendo feitas, a maioria dos especialistas admite que não há evidências suficientes para se chegar a uma conclusão definitiva a respeito da cafeína e seus efeitos sobre o aborto espontâneo. Por segurança, não consuma mais de 200 mg de cafeína por dia.

Avaliação em abril 2017