Criatividade, inovação, pensamento crítico e empatia, entre muitas outras, são algumas das competências que devemos fomentar nos nossos filhos se quisermos melhorar a sua autoestima. A perseverança, em particular, permitirá estabelecer metas, organizar-se e melhorar dia a dia. Mas por que é tão importante trabalhar essa habilidade nas crianças?

Perseverança: mais relevante que o QI

Inúmeros estudos mostraram que crianças perseverantes são mais bem sucedidas e é que o sucesso não tem nada a ver, neste caso, com o QI de uma criança. A capacidade de adaptação, assim como a capacidade de organizar, definir metas claras e ser persistente, é o que faz a diferença quando se trata de crianças bem-sucedidas. E, a longo prazo, de adultos funcionais. Dessa forma, é tarefa dos pais, educadores e qualquer pessoa relacionada à educação de nossos filhos estimular e trabalhar essa habilidade.

Perseverança em crianças: 10 técnicas para incentivá-la

Para incentivar a persistência nas crianças, devemos torná-lo um hábito. Por isso, mães e pais não podem supor que nossos filhos se tornarão persistentes de um dia para o outro: adquirir um hábito é algo que exige esforço e perseverança. Por isso, somos os pais e mães que devem implantar esse hábito em nossos filhos fazendo o trabalho diário.

1. Aprenda com os erros, essenciais para a persistência e autoestima

Erros são essenciais para o aprendizado: Se não estivermos errados, como vamos aprender? Nós, pais e mães, gostamos de estar em cima de nossos filhos, para ajudá-los. Mas, com isso, também fazemos com que eles não percebam seus erros. E, em inúmeras ocasiões, até impedimos que os pratiquem porque achamos que os estamos ajudando. Nada está mais longe da realidade. Proteger nossos pequeninos é bom. Mas, devemos estar cientes de que eles não são perfeitos, que errarão muitas vezes e que aprenderão com isso. Assim como temos feito. Deixá-los errar é uma tarefa difícil para os pais, mas necessária para o desenvolvimento dos nossos pequenos.

2. Ansiedade e cansaço: no centro das atenções

A maturidade de nossos filhos está muito longe da nossa e o que podemos exigir de nós não está perto do que podemos exigir deles. Por esta razão, devemos avaliar até onde nossos filhos podem ir. A ansiedade que a pressão e a fadiga podem gerar Não serão bons aliados na hora de incentivar a persistência, muito pelo contrário. Por isso, as tarefas que lhes confiamos devem ser sempre adequadas à sua idade e nunca pedir mais do que podem dar.

3. Regular as expectativas

Não é justo colocar nossas expectativas em nossos filhos. Devemos ser realistas e entender que o que eles querem ou podem fazer não tem nada a ver com o que queremos que eles sejam ou façam. Devo ajustar as expectativas, ouvir seus desejos e necessidades e ajudá-los a alcançar o que é realmente importante para eles.

4. Passo a passo: divisão de tarefas

Cada desafio tem seus passos a seguir e nossos filhos devem estar cientes disso. É fundamental ensiná-los a dividir seus objetivos em pequenos passos, pequenas conquistas que facilitarão muito suas tarefas e com as quais poderemos incentivá-los muito mais. Cada pequena conquista aumentará sua autoestima e isso lhes dará força para seguir em frente.

5. Pequenas vitórias levam ao sucesso: reforce o processo

Pequenas vitórias são importantes, mas o esforço que nossos filhos fazem para alcançá-las é ainda mais importante. Assim, não devemos esperar pelos resultados finais, mas devemos preste atenção especial ao esforço que estes atuam diariamente e o reforçam, também, diariamente.

6. A concentração deve ser treinada

Enquanto há crianças que acham muito difícil se concentrar no que lhes interessa, outras crianças precisam fazer grandes esforços para alcançar essa concentração de que precisam. Estar atento às necessidades de nossos filhos nos permite antecipá-las e dar-lhes as ferramentas certas para que possam progredir. Assim, se nossos filhos tiverem problemas de concentração, será necessário que os pais trabalhem esse aspecto com músicas, histórias, hobbies, etc. Existem muitas atividades e recursos que nos permitem treinar a concentração de nossos filhos.

7. Os esforços devem ter suas recompensas

Quando falamos de recompensas, não estamos falando de prêmios materiais ou algo semelhante. Um simples elogio fará com que nosso filho se sinta orgulhoso de si mesmo e, desta forma, vamos construir a sua confiança. No entanto, lembre-se que devemos elogiar os esforços e não apenas as conquistas.

8. Promove a autonomia: nem tudo deve ser feito pelos pais

Se estivermos sempre atentos a eles e socorrê-los na menor dificuldade que nossos filhos encontrem, não estaremos promovendo autonomia. É vital que as crianças encontrem situações complexas, que as analisem e pensem sobre elas. Devemos ajudá-los a ser autônomos e aprender a tomar a iniciativa.

9. Frases motivacionais, inspiradoras ou exemplos pessoais de superação

Os exemplos são sempre uma boa ferramenta quando se trata de promover qualquer hábito ou atitude em nossos filhos. Por esta razão, podemos recorrer a frases motivacionais ou dar-lhes exemplos de pessoas que superaram as adversidades quando outras teriam desistido a princípio. E, acima de tudo, devemos enfatizar o esforço que eles fizeram para alcançá-lo.

10. Bajulação: na medida certa

A bajulação é boa, mas na medida certa. Se sempre bajularmos nossos filhos, por pouco que façam, eles se acostumarão. Então a bajulação perderá importância e estaremos desperdiçando uma ferramenta poderosa para aumentar sua auto-estima.

A capacidade de adaptação às mudanças, o pensamento crítico e a perseverança são habilidades essenciais quando se trata de crianças bem-sucedidas. Promovê-los em casa e reforçá-los diariamente é fundamental para que acabem se tornando uma parte muito importante da personalidade de nossos filhos.