Brincar é divertido! O jogo é aquela atividade que não busca mais objetivo do que diversão, então qualquer atividade, estruturada ou não estruturada, que as crianças achem divertida e agradável, pode ser considerada um jogo.

As crianças do jogo não apenas se divertem, mas descobrem seu ambiente, aprendem e testam suas habilidades. Eles não apenas desenvolvem suas habilidades físicas, mas também sua capacidade de resolver problemas, criatividade e até mesmo suas habilidades comunicativas e sociais. Ao brincar, as crianças começam a simular situações sociais e aprendem a se adaptar a situações.

Já que brincar é o fio condutor de seu desenvolvimento durante toda a infância, é normal que os interesses da criança mudar como você joga e seus próprios jogos são transformados à medida que crescem

Tipos de jogos de acordo com o estágio de desenvolvimento infantil

Jogo funcional – do nascimento aos 6 meses

Movimentos espontâneos e descoordenados com os braços, pernas e mãos. Esses movimentos geram prazer e ajudam-no a dominar as diferentes funções corporais. No final desta etapa, quando você dominar melhor seus movimentos, começará a descobrir os objetos, assim ficará fascinado por tê-los em suas mãos e levá-los à sua boca.

Exploração – de 6 a 12 meses

Nessa idade, o jogo está se tornando uma atividade independente que permite explorar seu ambiente, principalmente porque você já pode manter seu equilíbrio. Este jogo é geralmente repetitivo e monótono, já que a criança quer checar se a cada vez que realiza uma ação, obtém o mesmo resultado. É um jogo muito manipulador que favorece o desenvolvimento do pensamento concreto

Jogo de auto-afirmação – de 1 a 2 anos

Nesta fase os objetos perdem parte de seu protagonismo já que o mais importante para a criança é descobrir suas potencialidades Suas conquistas motoras, o fato de que ele já pode andar, juntamente com o seu melhor domínio da linguagem, encoraja-o a explorar suas novas habilidades. Contudo, a criança ainda é egocêntrica e não tem as habilidades sociais necessárias para brincar com seus pares, então ele manterá um jogo paralelo. Não é incomum ver crianças menores de dois anos observando como as outras crianças brincam, sem serem incentivadas a participar, ou mesmo assistindo-as brincando lado a lado, cada uma sozinha. No entanto, eles podem brincar com crianças mais velhas ou adultos que os guiam.

Jogo simbólico – de 2 a 4 anos de idade

Nesta idade os jogos que as crianças mais gostam são construções e conseqüentes destruições. O interesse pelas construções se deve à necessidade de experiências para ordenar o mundo de acordo com suas próprias regras. A destruição responde ao desejo de demonstrar suas habilidades e impor seu controle. No entanto, nesta idade já existe uma conexão entre movimentos e símbolos, que será a base para as dramatizações. Na verdade, a criança começa a repetir em seus jogos as experiências positivas passadas

Jogo pré-social – de 4 a 6 anos

Nessa idade a criança começa a se interessar por seus companheiros, embora ele ainda goste do jogo sozinho. Na verdade, um amigo imaginário pode aparecer nesse estágio. A criança começa a fingir que ele é outra pessoa e assume diferentes papéis previamente acordados com seus companheiros de brincadeira. É um jogo de imitação em que aparecem as primeiras regras acordadas com os seus contemporâneos

Jogo social – dos 6 aos 8 anos

O jogo com as outras crianças torna-se muito importante e fundamental para consolidar a sua identidade. A criança trata todos os seus pares igualmente, mas começa a buscar alianças estratégicas para começar a competir entre si, isso é o que é conhecido como "jogos de proeza". Nessa idade os jogos já possuem regras fixas criadas por eles e todos devem cumpri-los

Jogo competitivo – dos 8 aos 12 anos

Nesta etapa a importância das outras crianças é enorme, então eles geralmente não permitem que adultos participem do jogo. Nesta fase, geralmente aparecem jogos muito competitivos que mais tarde se transformarão em jogos esportivos para transformar o "eu" em "nós". O objetivo será ter sucesso como um grupo.