Conforme explicado pelo Instituto Superior de Estudos Psicológicos em seu site, neuroeducação é "uma disciplina que promove a integração entre as ciências da educação e neurologia onde educadores e neurocientistas desenvolvem disciplinas como psicologia, neurociência, educação e ciência cognitiva ". Isso se traduz em uma melhoria dos métodos de ensino e programas educacionais.

Publicidade – Continue lendo

Neuroeducation, portanto, combina as ciências da educação com medicina e psicologia para fazer um ensinamento que leve em conta como a mente de cada criança trabalha isto é, como ele aprende seu cérebro, analisando suas emoções e necessidades para motivá-los através de uma educação adaptada a ele e, Então, mais eficaz.

Através da neuroeducação, também pessoas (neste caso, crianças) são ensinadas a identificar suas emoções para saber como gerenciá-las e não reagir impulsivamente. A gestão de emoções é uma ferramenta muito útil para melhorar a aprendizagem. Além disso, ao analisar como o cérebro de cada criança funciona, essa disciplina permite identificar possíveis causas neurológicas que podem levar ao fracasso escolar como a dislexia e, tempo para fornecer os métodos que melhor adaptados às necessidades especiais e que reforcem os aspectos em que eles vacilam.

Em conclusão, este método consiste em configurar a aprendizagem da maneira que melhor se adapte ao desenvolvimento do cérebro de cada criança. Além disso, sendo um método multidisciplinar, pode ser aplicado em diferentes assuntos.

Publicidade – Continue lendo

A chave para neuroeducation é saber como despertar a curiosidade nos alunos

as chaves da neuroeducação é saber despertar o interesse dos alunos através da curiosidade. Não se trata de aprender repetindo o mesmo conceito repetidas vezes, mas sim procurando uma maneira divertida de a criança aprender esse conceito por estar interessada nela. Fazer o que é ensinado é curioso, interessante e surpreendente facilita sua posterior memorização e aprendizado.

Neuroeducação em escolas e lares

A aplicação da neurociência nas salas de aula deve abordar a diversidade e a singularidade de cada aluno para isso é necessário um profissional que foi formado especificamente em neurociência tendo estudado, portanto, neurologia, psicologia, pedagogia ou psicologia infantil. Este profissional deve saber ler e aprender o cérebro de cada aluno. Por outro lado, o ambiente também é um fator chave na neuroeducação (luz, espaços, decoração …)

 Francisco Mora na neuroeducação "title =" Francisco Mora na neuroeducação "class =" lazyimage lazyload " data-src = "https://hips.hearstapps.com/hmg-prod.s3.amazonaws.com/images/francisco-mora-1550665743.jpg?crop=1xw:1xh;center,top&resize=480:*" / </picture></div>
</p></div>
<p>
			<span class= Amazon Prime

BUY

Para aplicar a neuroeducação em lar há duas maneiras : por um lado, podemos conversar com profissionais em faculdades (se é que na escola de seus filhos esse método é usado) para nos dar as chaves de como colocá-lo em prática com seus filhos em casa, Por outro lado, também podemos formar através de livros que especificamente falar sobre essa técnica educacional e como aplicá-la

 Neuroeducação para pais "title =" Neuroeducação para pais "class =" lazyimage lazylo ad "data-src =" https://hips.hearstapps.com/hmg-prod.s3.amazonaws.com/images/neuroeducacion-para-padres-1550665905.jpg?crop=1xw:1xh;center,top&resize=480 : * "/> </picture></div>
</p></div>
<div class=

Amazon Prime

COMPRAR