Muitas crianças têm dificuldade em dominar os algarismos romanos na escola, pois é um conteúdo muito específico com o qual não estão familiarizadas no seu quotidiano. Além disso, ter que memorizá-los torna a tarefa monótona e enfadonha. No entanto, na realidade aprender algarismos romanos pode ser muito fácil se você ensinar às crianças as teclas básicas para escrever esta numeração e o raciocínio por trás dela.

O que são algarismos romanos? Sua origem

Os algarismos romanos nada mais são do que o sistema numérico usado na Roma antiga embora sua origem remonte aos etruscos. Esta cidade que vivia na Toscana italiana possuía um sistema de numeração por meio de símbolos, no qual os romanos se inspiraram para criar seus valores numéricos. Por sua vez, acredita-se que a numeração dos etruscos veio do sistema de entalhes usado pelos antigos pastores, que nada mais eram do que marcas que entalharam nas hastes, ossos e paus para fazer a sua contagem.

Com base nos símbolos. Etruscos, os romanos criaram seu alfabeto e deram vida aos algarismos romanos que conhecemos hoje. No início, o sistema de numeração romana era regido pela propriedade aditiva segundo a qual cada número agregava valor ao anterior. Porém, com o passar do tempo e com o objetivo de abreviar a numeração, foi introduzida a propriedade subtrativa com a qual, dependendo da posição em que um número fosse colocado, ele poderia subtrair o valor do valor total. Por exemplo, inicialmente o número 9 foi escrito como VIIII e com a introdução da subtração, IX começou a ser escrito.

Por que é importante aprender algarismos romanos?

Com o curso Ao longo dos séculos, os números decimais, herdados dos antigos árabes que, por sua vez, herdaram da Índia, ganharam espaço a partir dos algarismos romanos. É por isso que atualmente é o sistema que prevalece em todo o mundo e, portanto, o que é ensinado no sistema educacional. No entanto, os algarismos romanos ainda são usados ​​em alguns contextos, por isso é importante que as crianças os dominem. Por exemplo, eles são usados ​​para:

  • Numerar personalidades na linha de sucessão como no caso de soberanos e papas: Filipe II ou João Paulo II.
  • Numerar os séculos: século XIX ou século 20. [19659009] Numere datas comuns, como aniversários ou sessões de eventos: XXI Torneio Anual de Xadrez ou XXV Aniversário da morte de …

Principais diferenças entre algarismos romanos e números decimais

Para aprender algarismos romanos, é importante entender suas diferenças no que diz respeito ao sistema decimal. Uma das principais diferenças é que os numerais romanos são compostos por letras (M, C, L), enquanto o sistema decimal é composto por números (1, 8, 9). Outra grande diferença está na existência do zero. Basicamente, no sistema de algarismos romanos não há zero pois não possui nenhum valor por si só, não está incluído nos algarismos romanos. Por outro lado, na numeração decimal, o zero é incluído como mais um número.

Isso se deve, e é outra diferença significativa entre os dois sistemas, ao valor posicional dos números. Por se tratar de um sistema essencialmente aditivo, os valores de cada algarismo romano são intrínsecos e independente de sua posição, ou seja, o X representa 10 em qualquer local. Porém, no sistema decimal, o valor de um número varia de acordo com sua posição. Por exemplo, o número 1 é igual a 1 unidade quando ocupa essa posição, mas no caso do número 150 representa 100 unidades porque mudou sua posição para centenas.

Como os algarismos romanos são formados? Chaves para entender como são escritos e lidos

Basicamente, os algarismos romanos são compostos por letras que, por sua vez, possuem um valor numérico. Os números "primários" são muito fáceis de memorizar, uma vez que são apenas sete letras básicas:

  • I: 1
  • V: 5
  • X: 10
  • L: 50
  • C: 100 [19659009] D: 500
  • M: 1000

Qualquer algarismo romano pode ser formado a partir da combinação dessas letras. Para fazer isso, as letras são colocadas da esquerda para a direita, sempre do maior para o menor valor, exceto quando você deseja subtrair um valor que é colocado à direita do maior número. Por exemplo, o número mil e quinhentos e dois é escrito MDII (M de mil, D de quinhentos e I de um), ou seja, 1000 + 500 + 1+ 1. Mas se você quiser formar o número noventa e cinco, escreva XCV (X de 10, C de 100 e V de 5) que seria 10 – 100 + 5 = 95. Uma peculiaridade é que, partindo do número 4000, uma linha horizontal é usada sobre o número para indicar que ele é multiplicado por mil.

Como saber quando adicionar ou subtrair algarismos romanos ao formá-los? Muito simples. Em primeiro lugar, deve-se levar em consideração que os números I, C e M, ou seja, o um e seus múltiplos, podem ser repetidos até três vezes seguidas para agregar valor enquanto os números V, L e D , isto é, cinco e seus múltiplos não podem ser escritos em uma linha, pois, nesse caso, eles são substituídos por um número maior, isto é, em vez de escrever VV para representar dez, X é escrito.

Veja bem, você então recorre à soma de valores para completar as três repetições no caso do número 1 e seus múltiplos, como por exemplo, para escrever três: III. Em vez disso, a subtração é utilizada quando o número ultrapassa as repetições permitidas, como no caso do número nove, que ao invés de ser formado com a adição de V e quatro vezes I (VIIII), escreve-se IX, ou seja, subtraindo I ao X.

Conversor de algarismos romanos

 Conversor de algarismos romanos

Impressão de algarismos romanos

Regras principais de algarismos romanos a ter em mente

Aprender a escrever ou ler algarismos romanos é na verdade bastante simples quando os números "primários" são dominados e a norma básica para sua formação é conhecida. No entanto, existem algumas regras que devem ser mantidas em mente.

  • Os algarismos romanos são sempre escritos e lidos da esquerda para a direita, ou seja, começando com os números de maior valor.
  • Números seguidos de outro com valor O mesmo ou menos são sempre adicionados, como XXII que seria 10 + 10 + 1 + 1 = 22.
  • Números seguidos por outro com um valor mais alto são sempre subtraídos, como XIX que seria 10 + (1 – 10) = 19.
  • O número I e seus múltiplos X e C podem ser colocados antes de um número maior para subtrair o valor, mas sem se repetir. Além disso, eles só podem prejudicar os números imediatamente superiores, mas não os valores muito mais elevados. Ou seja, só posso subtrair de V e X, C de L e C e C de D e M.
  • O número V e seus múltiplos V e D não podem ser usados ​​para subtrair em nenhum caso. Por exemplo, o número quarenta e cinco é escrito XLV e não VL.