O sonho de todo adolescente é se tornar um adulto para tomar conta de suas próprias vidas. Porém, tornar-se independente dos pais, procurar emprego e inserir-se na sociedade não é fácil já que exige um certo grau de maturidade, responsabilidade e sacrifício, ainda mais se for um adolescente com autismo.

O fato de os jovens com autismo terem mais dificuldade em se socializar com as pessoas ao seu redor, terem mais dificuldade em entender como certas tarefas funcionam na prática e terem menos habilidade para realizar algumas atividades pode dificultar a transição para a vida adulta. subida.

Os desafios que um adolescente ou jovem com autismo deve enfrentar

Além dos desafios que qualquer jovem deve enfrentar ao se tornar independente, adolescentes com autismo devem aprender a se inserir em uma sociedade que muitas vezes não está preparada para se adaptar e respeitar suas necessidades, ao mesmo tempo que devem assumir as normas e modos de comportamento que os diferentes cenários da vida cotidiana exigem. Embora alguns tenham mais facilidade do que outros, quase sempre é um grande desafio, pois eles terão que aprender a:

1. Tome suas próprias decisões

Enquanto muitos jovens com autismo são capazes de tomar pequenas decisões no seu dia-a-dia e tomar partido em grandes questões como com quem querem viver ou o que querem aprender, na realidade a maioria das decisões importantes são tomadas por seus pais ou responsáveis ​​legais. Porém, quando se tornarem adultos e tiverem que enfrentar a vida, terão que aprender a ter um papel mais ativo e tomar suas próprias decisões, escolhendo as opções mais convenientes para eles. Um verdadeiro desafio, especialmente para os jovens mais dependentes em seu ambiente.

2. Gerencie as responsabilidades diárias

Quando chegam à juventude, muitos adolescentes com autismo já estão realizando algumas tarefas domésticas, ao mesmo tempo em que resolvem alguns problemas por conta própria ou assumem algumas responsabilidades. No entanto, a verdade é que o maior fardo é normalmente carregado pelos pais, que são os responsáveis ​​pela gestão da casa, procurando o dinheiro para suprir as necessidades e resolver os problemas mais graves. Porém, Se esses jovens quiserem se tornar independentes quando se tornarem adultos, terão que enfrentar e assumir todas essas responsabilidades.

3. Cuide de si mesmo

A maioria dos jovens com autismo tem uma rotina de higiene e cuidados pessoais que aprenderam com seus pais, eles mesmos podem escolher suas roupas diárias e alguns até se atrevem a cozinhar seus pratos favoritos ou lavar roupas sujas. No entanto, quando se tornam adultos e querem se tornar independentes, Essas tarefas, até então voluntárias, passarão a ser uma obrigação. Eles estarão encarregados de preparar seu cardápio semanal, cuidar de suas roupas, agendar consultas com dentistas e médicos ou garantir sua distração e saúde mental.

4. Desenvolva suas habilidades sociais

Sem dúvida, um dos maiores desafios aos quais os jovens adolescentes com autismo são expostos ao se tornarem adultos é ter que desenvolver suas habilidades sociais para se inserir na sociedade e atuar em diferentes áreas. A transição para a vida adulta implica adaptar-se a certas normas e comportamentos, interagir com diferentes tipos de pessoas e ir a diferentes espaços que as obrigam a sair da sua zona de conforto.

5. Demonstre suas habilidades e habilidades

A idade adulta não requer apenas que os jovens adquiram habilidades para enfrentar o trabalho e as responsabilidades pessoais, mas também para demonstrá-las. Os jovens com autismo possuem habilidades e competências que desenvolveram ao longo da infância, mas a maioria não se sente à vontade para mostrá-las ao mundo. Porém, em sua transição para a vida adulta, eles não apenas terão que trazê-los à luz, mas aprender a aproveitá-los para seu desenvolvimento.

Incentivar a autonomia, a chave para promover uma transição bem-sucedida

A transição para a vida adulta não costuma ser fácil para os jovens com autismo, mas se desde pequenos os pais os encorajam a tomar suas próprias decisões, a ter um papel mais ativo em suas vidas e a desenvolver as habilidades necessárias para se inserirem na sociedade, a mudança não será tão abrupta. A chave está em educá-los para que aprendam a ser mais autônomos e independentes, para que eles possam se defender sozinhos quando decidirem fugir ou quando os pais não estiverem mais por perto para ajudá-los.

Embora seja verdade que a maioria dos programas de ajuda e orientação se concentre no autismo durante a infância, À medida que as crianças com autismo crescem, chega um momento em que os pais ou responsáveis ​​devem se concentrar em ajudar os jovens a se tornarem adultos. Aqui estão algumas chaves que é importante ter em mente ao criar uma criança e/ou adolescente com autismo para facilitar sua inclusão na sociedade.

1. Permita que eles assumam a responsabilidade

Superproteger jovens com autismo e limitar sua liberdade de assumir o controle de suas vidas não é a melhor maneira de prepará-los para a vida adulta. Se você sempre faz tudo por eles, impede que assumam responsabilidades e os proteja dos problemas, quando eles tiverem que enfrentar a vida adulta sozinhos, não estarão preparados para enfrentar os desafios que os aguardam. Portanto, o ideal é que você comece a prepará-los muito antes, permitindo-lhes assumir responsabilidades, realizar tarefas e resolver conflitos por conta própria. Desta forma, você estará preparando-os para a transição para a vida adulta e ajudando-os a desenvolver as habilidades de que precisam.

2. Incentive-os a se inserirem em diferentes ambientes

Impedir que os jovens com autismo se insiram em diferentes contextos para tentar protegê-los e mantê-los “seguros” em sua zona de conforto apenas os isolará ainda mais de seu ambiente e restringirá suas habilidades sociais. Se você realmente deseja educar adolescentes com autismo que sejam capazes de se integrar à sociedade quando atingirem a idade adulta É importante que desde pequenos você os incentive a conhecer novas pessoas, se inserir em ambientes diferentes e descobrir o mundo ao seu redor. Só assim estarão preparados para se tornarem independentes e tomarem conta de suas vidas da melhor maneira possível.

3. Motive-os a desenvolver suas habilidades

Adolescentes com autismo podem achar mais difícil entender as normas de seu ambiente, entender o comportamento das pessoas ao seu redor ou adquirir novos conhecimentos e habilidades. No entanto, isso não significa que eles não são capazes de alcançá-lo. Portanto, uma boa maneira de prepará-los para o futuro é motivá-los a desenvolver algumas das suas competências que lhes permitam uma melhor integração na sociedade. Por exemplo, você pode motivá-los a ir à terapia para aprender a gerenciar melhor suas emoções, participar de sessões em grupo para melhorar suas habilidades sociais ou se inscrever em cursos sobre tópicos de seu interesse para aprender um ofício ou desenvolver uma nova habilidade. .

4. Ajude-os a entender o mundo

Todos nós vemos o mundo através do nosso prisma pessoal, mas no caso dos jovens com autismo, esse prisma às vezes pode ser muito pequeno, o que os impede de entender muitas das coisas que acontecem ao seu redor. No entanto, compreender o mundo ao seu redor, desde o funcionamento dos serviços de saúde e dos procedimentos bancários até o processo de compra de casa ou os direitos dos cidadãos, é essencial para que possam se integrar à sociedade e assumir o controle de suas vidas. Somente quando estiverem cientes de como o mundo funciona, eles estarão prontos para se tornarem independentes e assumirem responsabilidade e controle pelo que acontece em suas vidas.

5. Dê a eles ferramentas práticas para enfrentar a sociedade

Para se tornar adulto e se inserir na sociedade, não basta entender o mundo ao seu redor, é essencial também ter ferramentas que lhe permitam enfrentar os problemas e buscar soluções para os obstáculos da vida. Por tanto, O melhor presente que você pode dar aos adolescentes e jovens com autismo é oferecer a eles ferramentas que lhes permitam resolver os problemas que mais cedo ou mais tarde encontrarão pelo caminho. Nesse sentido, é importante que você os ensine o que eles podem fazer diante de uma discussão ou como devem se comportar em uma entrevista de emprego, mas também que você lhes forneça recursos para gerenciar as críticas dos outros ou estabelecer metas pessoais.