Durante a gravidez, é normal ter muitas dúvidas sobre o desenvolvimento do bebê e o que acontece dentro de nós para atingir esse objetivo. Por exemplo, se o bebê tem espaço suficiente, se está recebendo nutrição adequada, se nossas atividades afetam sua condição, se ele se movimenta o suficiente, etc.

Quando você está no período de gestação, os órgãos são dispostos de tal forma que é gerado o espaço necessário para a formação do bebê. Com a criação da bolsa amniótica ou bolsa d’água, que é onde o bebê vive por nove meses e o cordão umbilical por onde é alimentado. Mas, o movimento do bebê pode afetar sua bolsa de líquido amniótico?

O que é o saco amniótico?

O saco amniótico, também chamado de bolsa de líquido amniótico ou bolsa de águas, é o local onde o feto se desenvolve. até que você esteja pronto para a expulsão quando terminar. Possui duas estruturas, sua face externa (córion) e sua face interna (âmnio) e sua função é oferecer uma camada interna no útero, que protege, sustenta e isola o bebê de qualquer dano.

Essa bolsa ou saco é formada a partir da quarta semana de gestação e é preenchida com líquido amniótico, que permite que o feto permaneça vivo. No final da gravidez, entre as semanas 37 e 39, a bolsa se rompe e o líquido começa a fluir, iniciando o trabalho de parto e gerando as contrações que indicam que o bebê precisa sair do útero.

O bebê pode romper o saco amniótico com seus movimentos?

A resposta curta é não. Embora o bebê se mova constante e vigorosamente, o saco amniótico é forte e resistente o suficiente para evitar a ruptura. por isto. Isso ocorre porque ela é composta por membranas firmes e elásticas que servem de suporte para que o bebê possa se mover livremente e se acomodar no canal do parto quando a mãe der à luz.

Quando se trata de gestações múltiplas, pode haver um pequeno risco de a bolsa quebrar devido ao peso extra, embora isso tenha uma possibilidade mínima de ocorrer. No entanto, existem outros fatores que podem causar ruptura prematura da membrana e trazer sérias complicações à gravidezpois afetam diretamente o espaço que mantém o bebê vivo durante a gestação.

Ruptura prematura de membranas

Refere-se a quando o saco amniótico rompe prematuramente, ou seja, antes de completar 37 semanas de gestação. O que leva a partos prematuros, abortos espontâneos (quando estiver nos primeiros meses de gravidez) ou infecções urinárias e uterinas graves.

Como indicado pelo estudo de Miguel Lugones Botell e Marieta Ramírez Bermúdez, essa ruptura prematura de membranas ocorre devido a vários fatores internos e externos. Embora em cada mãe, a origem da mesma pode ser diferente, assim como suas consequências. Em geral, ocorre quando há uma gravidez complicada, com risco de aborto ou com problemas de saúde da mãe.

Causas que levam a uma ruptura prematura da membrana

Existem muitas causas que levam a esta condição, mas existem condições de saúde que podem ser consideradas nesses casos, que deve ser monitorada nas consultas com o especialista. É importante conhecer o histórico médico de seus parentes sobre o desenvolvimento de suas gestações ou doenças que sofreram durante a gravidez, histórico de câncer ou tumores uterinos, etc.

  • Doenças que a mãe desenvolve Durante a gravidezcomo pré-eclâmpsia, diabetes ou pressão alta.
  • Vícios e consumo de tabaco, álcool ou drogas.
  • Malformações no feto.
  • Infecções ou tumores no colo do útero.
  • Baixo peso da mãe e desnutrição do feto.
  • Dor pélvica ou lombar constante e aguda ou contrações frequentes e incomuns.
  • partos prematuros.
  • Descolamento de placenta.
  • Gestações múltiplas, pois o peso que o saco suporta é maior.
  • Baixa resistência das membranas do saco amnióticoque não são capazes de suportar o peso do bebê enquanto ele cresce.
  • Trauma do saco amnióticoque podem ser decorrentes de acidentes veiculares, acidentes de trabalho ou quedas.
  • História familiar de abortos, alterações na placenta ou ruptura prematura da membrana.

O que fazer quando a bolsa de água se rompe?

Tudo vai depender da sua situação particular, mas você deve estar atento aos sinais que seu corpo diz.

1. Agir a partir da prevenção

Em casos de um ruptura prematura da membranao melhor a fazer é agir desde a prevenção, auxiliando seu check-ups regulares com o seu médico e informá-la sobre quaisquer complicações na gravidez que você tenha tido anteriormente ou que sua família tenha apresentado.

2. Preste atenção aos sinais

Você pode dizer se sua bolsa rompeu quando apresenta uma perda constante de líquido e de cor transparente, que não corresponde à sua urina. Se isso acontecer nos primeiros meses de gravidez ou antes de 34 semanas, você deve consultar seu médico imediatamente. O mais seguro é que lhe diga para manter o repouso absoluto durante o resto da gravidez, para que atinja o tempo de termo correspondente.

3. Observe as datas

Se a perda de líquidos ocorrer entre 34 e 37 semanas, pode ser necessário induzir o parto. Nesses casos, se não houver complicações anteriores, o bebê não desenvolverá nenhum problema porque nasce algumas semanas antes do esperado.

Quando ocorre durante a semana 37, é o sinal de que você está pronta para dar à luz.. As contrações nem sempre vêm imediatamente quando a bolsa rompe, então reserve um tempo para se preparar e informe o seu médico.

Quando ocorre após a 37ª semana, o parto deve ser iniciado porque, Quanto mais tarde você entrar em trabalho de parto, maior a probabilidade de contrair uma infecção. para a mãe.

Se você tiver alguma dúvida sobre sua gravidez, não hesite em perguntar ao seu médico, não importa que tipo de pergunta seja, é sempre melhor ter o máximo de informações possível, em vez de ser ignorante e vulnerável a qualquer problema.