Jennifer Lopez surpreendeu ao apresentar sua filha de gênero neutro Emme “Elle está muito ocupada”. Aprenda tudo sobre linguagem inclusiva.

Além de ser uma das mulheres mais populares e bem-sucedidas do século 21, Jennifer López mostrou que uma de suas melhores facetas é ser mãe. Hoje a cantora dá o que falar graças ao apoio incondicional a Emme, sua filha.

Lembre-se que no intervalo do Superbowl 2020 Emme mostrou que herdou o talento musical dos pais, aparecendo cantando com a mãe. Esta semana ele fez isso de novo, mas desta vez na gala de caridade da fundação Los Angeles Dodgers, na qual JLo mais uma vez teve Emme no palco.

A surpresa veio quando JLo apresentou Emme usando pronomes inclusivos e não femininos: «Elle está muito ocupada, cheia de reservas em sua agenda e ela é tão boa, custa-me muito quando sai, mas vale cada centavo porque é minha associada direta favorita de todos os tempos, então se me permite… A última vez que atuamos juntos foi em um grande estádio como este e peço que cante comigo o tempo todo. Portanto, esta é uma ocasião muito especial.”

Vestindo uma bermuda fúcsia e camisa de manga curta, meias combinando e o cabelo sob um grande gorro preto, Emme pulou no palco com sua mãe onde mostrou que tem uma ótima voz.

Mas, qual é a linguagem inclusiva que está sendo cada vez mais utilizada?

O que é linguagem inclusiva?

Segundo Paulina Chavira, Assessora Linguística, linguagem inclusiva refere-se a qualquer expressão verbal ou escrita que utilize preferencialmente vocabulário neutro. Você também pode evidenciar o masculino e o feminino para evitar a generalização do masculino em situações ou atividades onde aparecem mulheres, homens e outras identidades. As novas gerações estão promovendo o uso de morfemas, em meio aos movimentos sociais atuais como a revolução feminista e a comunidade LGBTIQ+, para se relacionarem a partir de um território igualitário.

Por que estamos falando sobre este tema e por que usá-lo?

-Porque mais e mais pessoas o usam
-Inclui todos os gêneros e identidades.
– Rupturas com ideias sexistas e atitudes discriminatórias.
-Busca a valorização da diversidade.
-Sua utilização promove o reconhecimento dos direitos das pessoas LGBTIQ+
– Expande a forma de pensar o mundo para além do que se imagina, começamos por reconhecer as diferentes identidades e passamos a compreender diferentes formas de compreender o mundo.

O que é o masculino genérico?

O igualitário inclui o acima, e a linguagem de sinais mexicana e braille

Se o RAE não aceitar, posso usá-lo? E as outras academias de línguas, como a Academia Mexicana de Línguas?
CLARO!! A RAE não decide como falamos/escrevemos. Esta é uma evolução da linguagem, uma mudança como as muitas que já sofreu.

Como usar a linguagem inclusiva?

O espanhol, por definição, é uma língua binária: usamos masculino e feminino e MUITO poucas palavras neutras (eso, ello, lo). Pensando nesse binarismo, é muito importante usar os substantivos correspondentes: os femininos, por exemplo, para PRESIDENTE, ENGENHEIRO, DOUTOR, QUÍMICA… Como sabemos se o gênero do substantivo mudou ou não: por que presidente, mas não é estudante?

O que há com o gênero não-binário?

É usado por pessoas que não se identificam com o masculino ou o feminino, não são homens nem mulheres. Eles estão fora do binário de gênero e pertencem à diversidade de gênero-sexo.

Cada pessoa escolhe o pronome com o qual quer ser identificada, identificada ou identificada. Ou seja, existem pessoas não-binárias que usam um pronome neutro (elle), ou que se dizem não-binárias e usam pronomes como ela ou ele.

Algumas pessoas não-binárias também podem escolher mais de um pronome. Por exemplo, ela e ela, ou ele e ela, ou ela e ele. As identidades não-binárias se enquadram no guarda-chuva das identidades transgênero. Por sua vez, as identidades não binárias são diversas: gênero fluido, demigênero, agênero, bigênero, entre outras identidades.

Exemplos:

-Amigo, amigo: amigo.
-Companera, companheiro: companheiro.
-Filha, filho: filho.
-Os artigos também são alterados: o companheiro, o amigo ou um amigo.

vocabulário inclusivo

Aqui deixamos um guia de vocabulário inclusivo. Use-o de forma escrita e oral.

❌ Cidadãos – ✅ Cidadania
❌ Os indígenas – ✅ População indígena
❌ O refugiado – ✅ O refugiado
❌ Professores – ✅ Professores
❌ Alunos – ✅ Alunos
❌ Crianças – ✅ Infância
❌ Os direitos do homem – ✅ Direitos humanos
❌ O corpo do homem – ✅ O corpo humano
❌ A evolução do homem – ✅ A evolução da espécie humana Outros exemplos

É obrigatório o uso de linguagem inclusiva?

Não. Mas você tem que lembrar que é uma questão de respeito. Um primeiro passo é começar a divulgar/compartilhar os pronomes com os quais você se identifica para saber como eles podem se dirigir a você.