Falamos de comportamento desadaptativo quando nossos filhos têm comportamentos que não são socialmente aceitáveis ​​e mesmo que podem estar fora de sua faixa etária ou estágio de desenvolvimento. É essencial entender por que isso acontece e quais são as causas que levam uma criança a ter esse tipo de comportamento.

Quando uma criança tem um comportamento disruptivo é essencial usar estratégias de modificação de comportamento. O objetivo é reduzir comportamentos negativos e reforçar os positivos. Para fazer isso, não perca detalhes de tudo o que explicaremos a seguir.

O que os pais devem fazer sobre comportamentos desadaptativos

Se você tem um filho que tem esse tipo de comportamento, precisa levar em consideração os seguintes pontos:

  • Converse com um profissional para orientá-lo no processo de modificação de comportamento.
  • Estabeleça metas para melhorar o comportamento do seu filho.
  • Use o máximo de estratégias possível.
  • Desvie a atenção dos comportamentos negativos, ignore os comportamentos perturbadores.
  • Recompensa e reforça positivamente os comportamentos que se deseja manter.
  • Mantenha um horário em casa para que seu filho saiba tudo o que é esperado em um dia e não tenha dificuldade em se adaptar às mudanças.
  • Estabeleça regras em casa para todos, não apenas para a criança que se comporta mal.
  • Ele usa o sistema de pontos para que você possa ver visualmente sua melhora no comportamento (com rostos felizes e tristes).
  • Divida um comportamento em diferentes etapas e reforce cada pequeno progresso.
  • Nunca compare seu filho quando ele se comporta mal com outro que se comporta bem, isso fará com que ele sinta ciúmes, raiva, ressentimento, insegurança e até ansiedade.
  • As crianças pequenas precisam de direção e orientação em seu comportamento.
  • As crianças mais velhas requerem mais comunicação verbal.
  • A criança deve saber quais os limites que se esperam dela e manter sempre um bom relacionamento.
  • Valide a emoção do seu filho, não importa quão intenso seja o seu comportamento. É a única maneira de fazê-lo se sentir compreendido e valorizado, algo que é fundamental para que a intensidade diminua.
  • Evite situações que possam ser gatilhos para um comportamento excessivamente perturbador.
  • Use o reforço positivo: seu filho deve se sentir satisfeito com seu bom comportamento porque foi reforçado e o fez se sentir bem, algo que lhe permitirá repetir o bom comportamento no futuro.
  • Seja um bom modelo: você não quer que seu filho fique calmo se você costuma ser explosivo ou irritado.

Existem três pontos muito importantes que não devem ser esquecidos: reforço positivo, estabelecimento de limites e, claro, ser um bom modelo.

O que não deve ser feito

Estabelecer rotinas, evitar comportamentos conflituosos, usar a distração e todos os pontos que discutimos na seção anterior são formas de reduzir o comportamento desadaptativo de crianças com problema de comportamento. Mas também, há algumas coisas importantes a ter em mente, nos referimos às que não devem ser feitas. Vamos ver:

  • Chantagem emocional. A chantagem emocional só serve para criar insegurança emocional, a criança vai achar que o amor por ela tem um preço.
  • Etiqueta. Nunca rotule uma criança porque ela realmente acreditará que é assim que ela é. Se você disser a uma criança que ela é “má”, “desobediente”, “desajeitada” ou “má”, ela agirá de acordo com os rótulos que as pessoas que ela mais ama no mundo dizem que ela é.
  • entregar um sermão Se você der a ele uma palestra, ele não será capaz de expressar como se sente porque você está falando o tempo todo dizendo o quanto ele se saiu mal. Em vez disso, permita que ela se expresse.
  • Punir. Nem o castigo físico (que também é penalizado e intolerável) nem os castigos em geral são inúteis.

Se seu filho se comporta mal, você tem que estabelecer limites. Se os problemas persistirem, procure ajuda profissional, pois quanto mais rápido a melhora da criança, mais cedo você poderá encontrar tranquilidade na família. Cada criança é diferente e cada família um mundo, Por isso é importante encontrar sempre a melhor forma de lidar com o problema que afeta todos os membros da família.