Por que esta geração está se tornando conhecida como a geração de crianças superdotadas? Nós explicamos e dizemos o que fazer para evitá-lo.

A chamada síndrome da criança superdotada é usada para descrever meninos e meninas que recebem presentes e brinquedos excessivos de seus pais ou parentes próximos. O risco? A criança se tornará caprichosa, mimada e materialista.

Sociedade de consumo e pais ausentes

“A sociedade é, por natureza, consumista e isso não vai mudar, mas o que pode ser mudado é ser um pai presente e dar ao seu filho um tempo de qualidade em que ele possa brincar e desfrutar de atividades recreativas sem ter que comprar nada”alerta com exclusividade para o Bbmundo, Mayra Paola Vargas Zavala, assessora educacional.

É necessário evitar que as crianças sejam preenchidas com objetos materiais sem a necessidade de haver um afeto significativo. Por isso, é recomendável oferecer apenas um ou dois presentes em momentos especiais como:

1. Aniversário
2. Natal
3. Quando eles alcançam uma conquista e você tem que reconhecer o esforço deles.

“A maioria dos afetados pela síndrome da criança hiperregulada tem pais ausentes e, portanto, carecem da atenção do pai e/ou da mãe. É quando os adultos se sentem culpados e procuram suplantar as emoções dos filhos (e deles próprios) com objetos materiais.especifica o entrevistado.

Recomendamos que você leia: Como o divórcio afeta os filhos e como evitá-lo?

Crianças intolerantes, adultos insatisfeitos

“Quando se dá tudo a um menino ou menina, sem esforço, criam-se comportamentos inadequados, tais como: baixa tolerância à frustração, birras, falta de limites e comportamentos caprichosos, que no futuro irão gerar adultos insatisfeitos que se refugiarão em realidades. materialistas de alto padrão, que ninguém pode atender e eles sempre estarão insatisfeitos”, lamenta Vargas Zavala.

O futuro pode ser prejudicial no desenvolvimento social, comportamental, psicológico, emocional e cognitivo que impactará a vida dessa criança.

O que fazer?

O entrevistado indica que, para combater a síndrome da criança hiperregulada, é necessário aprender —como pai ou mãe— que as verdadeiras necessidades de um filho ou filha estão na companhia de seus entes queridos, no jogo (não no brinquedo), na criação em conjunto (desenhos, quebra-cabeças, bolos ou vários projetos que não exijam o brinquedo mais caro).

Caso a criança continue exigindo certos brinquedos ou tenha comportamento material, deve-se buscar ajuda profissional para evitar a normalização desse tipo de educação.

Livros que recomendamos

1. A infância materialista: crescendo na cultura do consumo
Autor: David Buckinham
COMPRE AQUI

2. A garota entediada
Autor: Joselo Rangel
COMPRE AQUI

3. Lista para os pais, o que fazer e o que não fazer.
Autor: Jane Bluestein
COMPRE AQUI

Abandono imediato: quando a mãe e o pai estão emocionalmente ausentes