Vivemos em uma sociedade que considera o QI nas crianças um indicador de sucesso na vida. Assim, muitos pais e educadores se preocupam em medir o QI das crianças na tentativa de detectar possíveis problemas de desempenho e/ou aprendizagem ou, ao contrário, funcionamento acima da média. Dessa forma, eles não apenas identificam os principais pontos fortes e fracos das crianças, mas podem estimular a capacidade cognitiva das crianças desde cedo. Mas você realmente sabe o que é QI?

Qual é o quociente de inteligência? O que é levado em consideração para medi-lo?

O quociente de inteligência (QI) nada mais é do que um indicador para medir as habilidades cognitivas. Considerado como uma medida de inteligência, é frequentemente usado para comparar o quão inteligente é uma criança com a média intelectual para sua idade. Dessa forma, quanto maior o seu QI, mais inteligente você se considera, enquanto se tiver um QI abaixo da média, pode ser um indicador de um certo retardo ou deficiência intelectual.

Vale ressaltar que para determinar o valor geral do QI da criança, leva-se em consideração o desempenho cognitivo da criança em diferentes áreas, desde a memória e o raciocínio até seu nível de compreensão. Isso significa que, Independentemente do QI, uma criança pode ter um desempenho abaixo da média em certas funções enquanto tem um desempenho excelente em outras. Por isso, é importante não apenas levar em conta o valor do QI, mas também os resultados das áreas cognitivas que ele avalia.

  1. Compreensão verbal. A compreensão verbal refere-se às habilidades que estão na base do formação do conceito. Também compreende a capacidade de raciocínio verbal da criança, ou seja, sua capacidade de compreender uma fala e seu significado, levando em consideração seu domínio da linguagem e os conhecimentos adquiridos do meio, levando em consideração seu estágio de desenvolvimento.
  2. raciocínio perceptivo. Esta é uma categoria mais prática que avalia Competências das crianças para a criação, formação e classificação de conceitos não verbais. Também inclui a capacidade de processar diferentes informações ao mesmo tempo, bem como habilidades visuais que permitem fazer uma análise rápida e precisa de uma determinada situação.
  3. Memória de trabalho. É um indicador que mede a capacidade de retenção e armazenamento de informações, bem como a capacidade de operar mentalmente com esse conteúdo e transformá-lo para gerar novas informações. Basicamente, é uma habilidade que permite usar o conhecimento adquirido para criar coisas novas na prática.
  4. Velocidade de processamento de informações. É uma medida que avalia a capacidade de focar a atenção, explicar e ordenar ou discriminar informações visuais de forma rápida e eficaz. Basicamente, mede a capacidade de processar conteúdo de forma rápida e eficaz.
  5. Habilidade visuo-espacial. Este indicador refere-se à integração visomotora. Em outras palavras, avalia a capacidade de prestar atenção aos detalhes dentro de um todo e a capacidade de integrá-los como parte do conjunto.

Escalas para medir o quociente de inteligência de crianças

Existem diferentes formas de avaliar a capacidade intelectual em crianças, uma das mais utilizadas são os testes psicométricos. Basicamente, são diferentes testes padronizados que usam uma bateria de perguntas para descobrir o nível de desempenho cognitivo das crianças. Aqui estão os testes psicométricos mais usados:

1. WISC-V ou Escala de Inteligência Wechsler

É sobre teste de inteligência mais usado para medir habilidades cognitivas entre crianças. Com base em uma abordagem de inteligência mais global, avalia diferentes áreas da cognição, como compreensão verbal e visuoespacial, raciocínio, memória de trabalho e velocidade de processamento. Desta maneira, Além de uma pontuação geral de QI, é possível ter uma ideia mais específica do desempenho da criança nas diferentes áreas cognitivas.

A prova é composta por 10 provas principais e 5 complementares que permitem avaliar diferentes capacidades e competências. A soma dos resultados de cada teste define a capacidade intelectual global da criança em comparação com a média de sua faixa etária. Como resultado, pode-se determinar o quão inteligente é uma criança, bem como quais são suas principais forças e fraquezas cognitivas.

2. K-Bit ou breve teste de inteligência de Kaufman

É um teste rápido de aplicação que avalia a capacidade intelectual a partir dos 4 anos de idade. Criado pelo psicólogo americano Alan Kaufman, possui uma bateria de perguntas sobre vocabulário e elementos não verbais que avalia o desempenho cognitivo e as habilidades relacionadas ao aprendizado escolar, propondo um valor de desempenho ou inteligência geral.

O teste é dividido em duas baterias de testes, uma para vocabulário e outra para matrizes. O primeiro, composto por 45 itens de vocabulário expressivo e 37 itens de definição, avalia a linguagem, as habilidades verbais e a formação de conceitos em crianças. A segunda, composta por 48 elementos não verbais, inclui estímulos visuais tanto figurativos como abstratos que permitem analisar a inteligência cristalizada e fluida.

3. Toni-2 ou teste de inteligência não verbal

O Toni-2 é um teste de inteligência não-verbal que avalia a capacidade cognitiva para resolver problemas. Projetado para crianças a partir de 5 anos de idade, é ideal para medir a inteligência desde cedo, pois não requer o uso da linguagem ou habilidades motoras altamente desenvolvidas. O teste funciona a partir de matrizes figurativas e abstratas que as crianças devem relacionar entre si para encontrar a solução entre as alternativas que são propostas.

A prova tem duas formas equivalentes, cada uma delas composta por 55 elementos de dificuldade crescente que Eles medem a capacidade de raciocínio, pensamento lógico e resolução de problemas. As indicações são muito simples pois as mesmas podem ser aplicadas através de gestos como com breves indicações verbais para que a criança escolha a figura que corresponde ao espaço vazio.

Inteligência além do QI

Embora os testes psicométricos possam ser uma boa alternativa para conhecer o quociente intelectual e a capacidade cognitiva das crianças, bem como detectar possíveis atrasos no desenvolvimento ou problemas de aprendizagem, eles não podem, de fato, medir a inteligência de uma criança. A inteligência infantil não inclui apenas a capacidade de resolver problemas, o desenvolvimento da linguagem ou da memória, mas também se refere a outros aspectos da cognição humana, como habilidades emocionais e sociais, criatividade ou imaginação.

Crianças com inteligência emocional, talento para as artes ou habilidades de comunicação também são consideradas inteligentes, mesmo que não tenham grandes habilidades matemáticas ou tenham pouca memória de trabalho. Por isso, é importante usar os “testes de inteligência” com muito cuidado para evitar estigmatizar crianças com QI médio ou abaixo da média que têm outras virtudes e se destacam em outras áreas de atividade.