Essas são as feridas maternas de acordo com nosso tipo de mãe e quais as consequências de não trabalhá-las.

Qual é a ferida materna?

A experiência de ser mulher, que passamos de geração em geração. São TODOS os mecanismos de enfrentamento que aprendemos para lidar com a dor das mulheres em nossas linhas geracionais. Nosso condicionamento, nossas ideias, crenças, comportamentos.

O que nos machuca?

Comparação: nunca se sente o suficiente.
Vergonha: A sensação constante de que algo está errado conosco
Minimize-nos: sentir que temos que nos fazer pequenos para sermos amados.
Culpa: Persistente sentimento de culpa por querer mais do que nossas mães, avós tinham.

Como é essa ferida em nossa vida adulta?

Não ser você na sua totalidade para não magoar os outros.
Ter uma alta tolerância ao tratamento abusivo de outras pessoas.
Cuidar emocionalmente dos outros.
Competindo compulsivamente contra outras mulheres.
Auto sabotagem.
Sendo muito rígido e dominante.
Condições como distúrbios alimentares, depressão e vícios.

TIPOS DE MÃES E FERIDAS QUE DEIXAM

a mãe negligente

São elas que ignoram ou não cuidam das filhas, não lhes dão orientação, apoio emocional ou empatia.
Eles constantemente descartam e negam suas emoções.
FERIMENTO: Se você foi criado por uma mãe negligente, a mensagem que ela transmitiu a você, repetidas vezes, é que você era INVISÍVEL e crescia com uma profunda ferida de abandono.

a mãe controladora

São eles que precisam estar sempre no controle da vida dos filhos, saber o que estão fazendo e até saber o que estão pensando, mesmo que sejam mais velhos e não morem mais com eles.
Eles são superprotetores, manipuladores e intrometidos. Eles querem que seus filhos sempre façam o que eles querem. Acham que têm o direito de intervir em suas vidas mesmo que morem fora de casa.
Se o filho já é casado, a atitude desse tipo de mãe costuma ser desastrosa para o casamento. Eles tentam fazer o filho fazer o que eles querem sem contar com a nora e sem nenhum respeito pelos planos familiares.
FERIMENTO: Se você foi criado por uma mãe assim, pode ser difícil para você ser independente, funcionar socialmente. Há insegurança e falta de autoconfiança, há até uma incapacidade de tomar decisões e resolver problemas.

A mãe psicossomática

Ela é aquela que usa doenças, enfermidades e dores para manipular os outros, para conseguir o que quer e para focar a atenção nela.
É o “método de controle da doença” e é muito eficaz.
Se a filha não responde, ela parece má e se sente uma fracassada que não consegue ser legal com a mãe.
Algumas filhas aprendem que, se ficarem doentes, recebem alguma atenção de suas mães psicossomáticas, porque a doença lhes proporciona um vínculo comum.
FERIMENTO: Se você teve uma mãe assim, pode ter crescido com um sentimento constante de culpa, ansiedade, baixa autoestima.

A mãe perfeccionista

Para esse tipo de mãe, o que você alcança na vida é de suma importância. O sucesso depende do que você faz, não de quem você é. Ele espera que você tenha um desempenho no nível mais alto possível.
Essa mãe tem muito orgulho das boas notas de seus filhos, de vencer torneios, de ser admitida na universidade certa e de se formar com os diplomas certos.
Mas se você não se tornar o que sua mãe orientada para o sucesso pensa que você deveria ser, ela fica profundamente envergonhada e pode reagir com um acesso desenfreado de raiva e raiva.
FERIMENTO: Você cresce pensando que tudo deve ser perfeito, que erros são inadmissíveis. Há medo de estar errado e de ser julgado ou criticado. Você não cresce pensando que tem que aprender com os erros, mas que o erro é um fracasso total.

♦ A mãe pública e figura escandalosa

Esta é a mãe sobre a qual os filmes são feitos. Ela é adorada pelas massas, mas secretamente temida por aqueles que vivem com ela e seus filhos.
Alguns a adoram, mas você despreza a máscara que ela representa para o mundo.
Ver como o mundo reage a ela confunde você. Você vê que ele não oferece a você, sua filha, o mesmo carinho e carisma que oferece aos outros, amigos, colegas, familiares, até estranhos.
Muitas vezes, essas mães levam vidas de sonho e querem que suas filhas se encaixem em seu mundo social e se ajustem ao seu molde.
FERIMENTO: vergonha e humilhação

mãe secretamente má

A mãe que é secretamente má não quer que os outros saibam que ela maltrata seus filhos. Ele geralmente tem um eu público totalmente diferente e um eu privado totalmente diferente.
Eles são gentis, amorosos e atenciosos em público, mas abusivos e cruéis em casa.
Esta mãe é capaz de anunciar em público: “Estou muito orgulhosa da minha filha. Não é lindo?”, e depois, em casa, diga: “Você precisa emagrecer urgentemente”.
FERIMENTO: medo e choque

O preço de não conhecer e trabalhar com a Ferida Mãe pode envolver:

-Um sentimento vago e persistente de “há algo errado comigo”.
-Não viver seu potencial por medo de fracasso ou desaprovação.
-Ter limites fracos e uma noção pouco clara de quem você é.
-Não se sentir capaz ou merecedor de criar a vida que você deseja.
-Não se sentir seguro para tomar seu espaço e falar sua verdade.
-Acomode sua vida para não “fazer ondas”.
-Auto sabotar a si mesmo quando chegar perto do resultado desejado.
-Viver inconscientemente esperando pela permissão ou aprovação da mãe para reivindicar sua própria vida.

Compre o novo livro de Aura Medina:

Clique AQUI para comprar na Amazon

3 feridas emocionais da infância, reconheça-as e cure-as!