Há histórias que parecem muito simples, mas contêm uma grande mensagem. Histórias capazes de condensar fenômenos tão complexos que às vezes não conseguimos explicar com palavras no dia a dia. Histórias que se camuflam por trás da linguagem infantil, mas que têm o poder de mudar nossas vidas e nos fazer ver o mundo de uma forma diferente. “El cazo de Lorenzo” é uma dessas histórias. Um curta sobre diferenças, auto-aperfeiçoamento e aceitação que toda criança e seus pais deveriam ver ou ler em algum momento de suas vidas.

“El cazo de Lorenzo”: Uma história sobre diferenças e aceitação

Da caneta da escritora francesa Isabelle Carrier e transformado em um curta, “El cazo de Lorenzo” conta a história de um menino muito sensível com grandes dons artísticos que realmente gosta de animais. No entanto, Lorenzo tem um problema, um dia uma panela caiu sobre ele e, desde então, ele não consegue se livrar dela e tem que arrastá-la para todos os lugares. Essa panela é o símbolo que o autor escolheu para representar necessidades ou habilidades especiais. O que diferencia algumas pessoas de outras.

O fato de levar sempre consigo a panela, ou seja, de carregar aquelas qualidades que o distinguem dos demais, marca uma distância entre Lorenzo e todos os que o cercam. A princípio, alguns tentam olhá-lo com outros olhos ou ajudá-lo a se livrar da panela, mas vendo que é impossível, começam a marginalizá-lo cada vez mais, chamando-o de “diferente” e “estranho”. No entanto, Lorenzo é uma criança sensível que precisa de amor e quanto mais se sente rejeitado, mais se fecha em si mesmo e mais difícil é para ele carregar o pesado fardo do pote nos ombros.

Assim, a panela que inicialmente não representava um obstáculo para ele, começa a se tornar um fardo pesado que o impede de fazer as coisas que os outros fazem ou até mesmo desfrutar dos hobbies que antes gostava. Chega o dia em que, cansado de se sentir diferente e marginalizado, ele se refugia dentro do pote, sentindo-se incapaz de lidar com os obstáculos que a sociedade lhe impõe. E uma vez lá, isolado das pessoas, começa a cair no esquecimento.

No entanto, um dia Lorenzo conhece uma pessoa extraordinária, uma mulher que o faz ver que sua vida não é tão negativa quanto ele pensava e aquela panela que você considera sua inimiga pode transformá-la em sua melhor aliada fazer coisas que ninguém mais é capaz de fazer. Tão pouco a pouco Lorenzo é capaz de identificar seus pontos fortes, destacar suas habilidades e encontre a confiança necessária para enfrentar a vida e aprenda a ver oportunidades onde antes só via problemas.

Sem dúvida, é uma excelente história sobre diferenças, sensibilidade humana e deficiência que, com uma linguagem muito simples e acessível mesmo para crianças, mostra o que se passa na mente de uma pessoa com habilidades especiais e os esforços que deve fazer para se adaptar a uma sociedade que o chama de “diferente”. Uma história em que também fala sobre aceitar a si mesmo e aos outros e que menciona a importância de aprender a superar as dificuldades como forma de crescer e nos tornar as pessoas que queremos ser.

A mensagem mais importante que esta história nos deixa

“A panela de Lorenzo” é uma história sobre habilidades especiais e aceitação de diferenças. Na verdade, sua mensagem principal visa refletir sobre os obstáculos enfrentados pelas pessoas com necessidades especiais, para o que o autor usa a metáfora da panela, que impede Lorenzo de realizar determinadas atividades, o faz ficar preso facilmente e impossibilita que para acompanhar as outras crianças. No entanto, também Refere-se à dificuldade generalizada na sociedade de compreender as diferentes pessoas e aceitá-las como elas são.

A história também toca em um assunto muito sensível, a necessidade de nos aceitarmos como somos. Uma mensagem que fica bem evidente no momento em que Lorenzo decide se livrar de sua maconha para tentar ser igual às outras crianças e fazer o que todas elas fazem. De uma forma muito sutil, mas profunda, o autor narra a batalha interna dessa criança para se livrar de uma parte de si que não quer e seu desconforto e desconforto por não conseguir. Assim, nos transmite a importância de não lutar ou ir contra nossas diferenças, mas, ao contrário, aceitá-las como parte intrínseca de nós e aprender a tirar o máximo proveito delas.

Da mesma forma, a história também transmite outras mensagens mais sutis, mas tão valiosas que às vezes podem passar despercebidas. Um deles é a importância de fornecer às crianças ferramentas e um espaço onde elas possam se expressar como são e comunicar seus desejos e vontades, mas também suas frustrações e desconfortos. É um aceno para que pais e adultos em geral reflitam sobre a forma como se relacionam com as crianças, principalmente aquelas com necessidades especiais, e avaliem se os ajudam a canalizar tudo o que acontece em seu mundo interior ou, pelo contrário, se tornam um obstáculo para que se expressem abertamente.

Por último, a história apela à sociedade, especialmente aos adultos, para que sejam mais compreensivos e tolerantes com as diferentes pessoas. Um chamado para aprender a se colocar no lugar dos outros, passar um tempo refletindo sobre as causas que levam as pessoas a se comportarem de maneira estranha ou fora do comum às vezes e tentar encurtar as distâncias para que se sintam mais confortáveis. Um alerta para nos tornarmos pessoas mais abertas, sensíveis e inclusivas, ousando sair da nossa zona de conforto e abandonar nossas crenças e estereótipos para abraçar o novo, o desconhecido e o diferente.

Curta “A Panela de Lorenzo”

Vídeos do YouTube